Notícias

Em cúpula dos Brics, Putin faz críticas ao ocidente e China cita "abusos"

23 Jun 2022 - 19h29 | Atulizado em 23 Jun 2022 - 19h29
Em cúpula dos Brics, Putin faz críticas ao ocidente e China cita

Durante a 14ª cúpula dos Brics, que foi iniciada nesta quinta-feira (23), o presidente da China, Xi Jinping, fez críticas ao “abuso” das sanções internacionais, ao mesmo tempo em que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, repreendeu os países ocidentais por fomentar a crise global. Ambos os líderes pediram uma maior cooperação do grupo.

Xi Jinping pediu que os países componentes do grupo (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) usem a sua influência econômica para garantir um sistema internacional essencialmente multinacional tendo como base as Nações Unidas.

“Devemos abandonar a mentalidade da Guerra Fria e bloquear o confronto e nos opor a sanções unilaterais – e ao abuso de sanções”, frisou o líder chinês.

“Nossa reunião hoje ocorre em um momento crucial de escolha para o futuro da humanidade. Como principais mercados emergentes e países em desenvolvimento, os países do Brics devem assumir responsabilidade”, comentou Xi Jinping.

A China é com certa vantagem a maior economia do grupo, sendo responsável por mais de 70% do poder econômico dos cinco países juntos, que ao todo corresponde a US$ 27,5 trilhões de dólares.


O presidente da China Xi Jinping. (Foto: Reprodução/ CNN)


Já Vladimir Putin não só pediu uma maior cooperação dos Brics, mas também fez duras críticas ao ocidente, o acusando de fomentar uma crise.

“Somente com base em uma cooperação honesta e mutuamente benéfica podemos procurar maneiras de sair da situação de crise que se desenvolveu na economia global devido às ações egoístas e mal consideradas de Estados individuais”, disse o presidente russo.

Ele acusou os países ocidentais de “usarem mecanismos financeiros” para “desviar seus próprios erros na política macroeconômica para o mundo inteiro”.

O líder da Rússia também falou sobre as relações do país com a China, que para ele são as melhores que já foram. Putin pediu uma parceria estratégica entre os dois países para combater a influência norte-americana.

Tanto os Estados Unidos quanto as potências europeias culpam a decisão de Putin de invadir a Ucrânia, motivo pelo qual estão sendo impostas diversas sanções à Rússia.

O presidente russo diz que o ocidente quer destruir o seu país, que tais sanções são como uma declaração de guerra econômica, reforçando a construção de laços com outras potências como Índia e China.

 

Foto destaque: os líderes da Rússia e da China, Vladimir Putin e Xi Jinping. (Reprodução/ Reuters)