Esportes

Entenda os próximos passos para a venda da SAF do Vasco

22 Fev 2022 - 12h45 | Atulizado em 22 Fev 2022 - 12h45
Entenda os próximos passos para a venda da SAF do Vasco

Após assinar acordo para a venda de 70% da sua SAF (Sociedade Anônima do Futebol), o Vasco agora aguarda os próximos passos para a conclusão do acerto, o clube ainda precisa cumprir alguns regulamentos em sua constituição para oficialmente se tornar uma empresa e poder aceitar a proposta dos americanos. O Vasco passará por um processo de votação entre os sócios do clube, que vão decidir a aprovação da proposta para clube empresa.


Josh Wander e Juan Arciniegas, dois dos responsáveis pelo 777 Partners (Foto:Reprodução/Getty Images)


A proposta da empresa americana 777 Partners é de R$ 700 milhões por 70% da SAF, com o investimento imediato de R$ 70 milhões que irá passar por aprovação no Conselho Deliberativo. O valor desse investimento é uma espécie de empréstimo-ponte que será descontado do montante total após a assinatura do contrato vinculante.

O Vasco trabalha para que a votação ocorra o mais rápido possível, o clube pretende fazer a reunião ainda nesta semana, mas a convocação depende do Conselho Fiscal. Caso o documento seja enviado para o Conselho Deliberativo ainda nesta terça-feira (22), o presidente Carlos Fonseca convocará reunião para votação de empréstimo em 48 horas. Se o parecer não sair até esta terça, a estimativa é que a reunião aconteça somente após o feriado de Carnaval.

A partir da aprovação dos conselheiros, o 777 Partners tem até uma semana para depositar os R$ 70 milhões na conta do clube. No entanto, as partes combinaram que a transferência ocorra no dia seguinte a aprovação. Para a apreciação do empréstimo, o estatuto do Vasco exige a participação de no mínimo 151 conselheiros e aprovação de 2/3, ou seja pelo menos 101 votos "sim".

"Há quem entenda que, como a alçada da venda é da Assembleia Geral, o Conselho Deliberativo não deveria impedir que isso chegue na AGE. Diferentemente do estatuto, que é proposto pelo CD, aqui quem está propondo é um terceiro, então entendo que o papel do CD é apenas dar o parecer para os sócios. Mas essa interpretação ainda será debatida. O CD tem que decidir pela ausência do fato específico no estatuto: se será a última alçada para recusa ou se fará a recomendação para aprovação ou não da AGE." - explicou o presidente do Conselho Deliberativo.

Caso o negócio com o 777 Partners seja concretizado nos próximos três meses, a venda da SAF passará pela Assembleia Geral, que poderá aprovar o acordo por maioria simples de votos.

Foto Destaque: Jorge Salgado, presidente do Vasco, e Carlos Fonseca, presidente do Conselho Deliberativo Reprodução/João Pedro Isidro/Vasco