Magazine

Erika Schneider: 'Realizando sonhos com fé em Deus'

16 Mar 2022 - 18h24 | Atulizado em 16 Mar 2022 - 18h24
Erika Schneider: 'Realizando sonhos com fé em Deus'

Erika Schneider nasceu em Recife, PE; mas foi criada em São Roque interior de São Paulo, ela é filha de um alemão com uma nordestina, influenciadora, criadora de conteúdo, dançarina, empresária no segmento da moda feminina e ex-Fazenda 2021.

Conte um pouco sobre você, onde nasceu? Onde cresceu? "Nasci em Recife, mas mudei para São Roque ainda bebê. Sou filha de um alemão com uma nordestina e vivo entre os dois mundos, como representante de ambas as culturas. Minha vida sempre teve a ver com a diversidade, com a pluralidade. Aos 15 anos fui morar na Alemanha, para aprender o idioma, mas decidi ficar no Brasil por amor a este país."

Realizando sonhos com fé em Deus.


Erika Schneider dançarina e ex-peoa de A Fazenda 2021 (Foto: Reprodução/Leandro Müller)


Muitos internautas questionam o comportamento das celebridades, influenciadores e artistas longe das câmeras; mas e com você? Quem é a Erika Schneider longe das câmeras e holofotes? "Sou a mesma pessoa que eu mostro nas câmeras e um pouco nas redes sociais. Sou brincalhona, amiga, sincera, gosto de fazer amizades com todos, não importa a classe social, a raça, a orientação sexual. Trato todos com mesmo carinho e respeito."

Se fosse para te descrever em uma frase, qual frase seria essa? "Uma frase que eu tatuei na costela, escrita em alemão, que traduzindo para o português significa: "Realizando sonhos com fé em Deus".

O machismo é algo tão enraizado na nossa sociedade, que até algumas mulheres acabam reproduzindo…


Erika Schneider dançarina e ex-peoa de A Fazenda 2021 (Foto: Reprodução/Leandro Müller)


O Brasil é um dos países que mais chamam atenção quando o assunto é assédio, a sociedade tem uma mente mais fechada e culturalmente em qualquer circunstância tudo sempre é culpa da mulher, quando não usam o argumento de culpa, usam o de invalidade em conquistas e capacidade intelectual das mulheres.

Como é ser mulher em uma sociedade com a mente tão fechada? "É ter que lutar diariamente. Infelizmente muitos homens acham que as mulheres têm papéis distintos na sociedade, não têm os mesmo direitos, não podem fazer tudo que eles fazem. O machismo é algo tão enraizado na nossa sociedade que até algumas mulheres acabam reproduzindo. É sofrer assédio e ainda ser culpada por isso porque não estava vestindo uma roupa `'adequada". Se você se impõe, dizem que você é autoritária. Enfim, não é nada fácil. Avançamos muito, mas parece que nos últimos anos retrocedemos. Li uma reportagem que o Brasil ocupa a 80° posição em um ranking que mede os melhores e os piores países para ser mulher nos quesitos inclusão, justiça e segurança. Isso é vergonhoso."

Já teve um cara que me perseguia, ele acreditava que era casado comigo.


Erika Schneider dançarina e ex-peoa de A Fazenda 2021 (Foto: Reprodução/Leandro Müller)


Você se considera uma mulher sex symbol? Como você lida com assédio? Recebe muitas mensagens machistas? Já aconteceu algum episódio que te marcou? "Eu não me considero um sex symbol. Acho que sou uma pessoa normal. Recebia mais, atualmente bem menos. Antes quando eu postava alguma foto de biquíni, sofria assédio no direct nas redes sociais. Já teve um cara que me perseguia, ele acreditava que era casado comigo."

Trabalhar com o Faustão é um aprendizado. Ele incentiva, acredita nas pessoas. É um grande comunicador e tem um coração gigante.


Erika Schneider e Fausto Silva (Foto: Reprodução/Instagram)


A carreira pública de Erika começou bem antes dela entrar no reality A Fazenda, ela atuou como dançarina no Ballet do Faustão durante 8 anos na rede globo, em paralelo ela empreendia com a sua loja voltada ao público feminino e com publicidade em seu perfil no Instagram. Atualmente a influenciadora acumula 2 milhões de seguidores em seu Instagram, onde trabalha com publicidades para diversas marcas.

Antes de te acompanhar na fazenda, te conhecemos pelo Domingão do Faustão na emissora Globo. Como foi sua trajetória no programa? Era um sonho fazer parte do ballet? Como era sua rotina na época? Como era os bastidores? Existe algo que queira comentar que não foi para imprensa? "Foi um sonho realizado, uma grande honra ter feito parte do Domingão do Faustão por quase 8 anos. Trabalhar com o Faustão é um aprendizado. Ele incentiva, acredita nas pessoas. É um grande comunicador e tem um coração gigante. Eu tinha os ensaios durante a semana e os programas eram todos ao vivo. Só no final do ano que a gente tinha gravação, já que em Janeiro, a gente tinha férias. Era uma rotina bem puxada, mas, ao mesmo tempo, tudo era muito gostoso."

Eu recebi o convite na mesma época que recebi o convite para A Fazenda.


Erika Schneider dançarina e ex-peoa de A Fazenda 2021 (Foto: Reprodução/Leandro Müller)


O Ballet hoje está formado em outra emissora, caso recebesse o convite de voltar para integrar o ballet nesse novo formato e na nova emissora, você voltaria? "Eu recebi o convite na mesma época que recebi o convite para A Fazenda. No ballet do Faustão, eu já tinha estado por quase oito anos. O reality era uma novidade, tudo podia acontecer. Fui para 'A Fazenda' e não me arrependo. Mesmo não ganhando o prêmio, o reality me abriu portas."

Os realitys shows sempre dão o que falar, é um entretenimento e tanto para nós telespectadores. Em 2021, Erika participou de A Fazenda da TV Record, e sua permanência no reality incomodou muitos os participantes a ponto da influenciadora ser perseguida.

Acompanhamos alguns episódios e vimos o quão perseguida você foi dentro do reality, como lidou com isso aqui fora? Lá dentro você tinha essa percepção de perseguição? Você esperava por isso antes de entrar? Acha que o fato de você ser uma mulher muito bonita pode ter contribuído para a perseguição? "Quando eu entrei imaginava que uma ou outra pessoa podia não gostar de mim, o que é normal em um reality. O problema foi a perseguição. Lá dentro, teve uma hora em que comecei a duvidar de mim mesma. E isso acontece aqui fora com muitas mulheres que vivem relacionamentos tóxicos ou são vítimas de machismo. O outro faz com que acredite que você é a errada. Você não está errada, mas vive tanto aquela situação que acaba achando que o problema é com você. Eu achei que eu estivesse maluca, vendo coisas que não existiam. Depois que eu saí, vi os vídeos, as conversas, entendi como fui atacada gratuitamente, por pessoas que eu nunca tinha feito nada. Quando saí fiquei muito triste e foi o público que me tirou dessa tristeza."

A gente nunca sabe o dia de amanhã. Hoje eu não participaria de nenhum reality, mas amanhã a gente não sabe, né?


Erika Schneider no lançamento da linha de roupas da Gkay (Foto: Reprodução/Instagram)


Após o reality sua vida mudou muito? Impactou em qual aspecto na sua vida? "Eu continuo sendo a mesma Erika, mas claro aumentou o número de seguidores no Instagram, um maior número de pessoas me conhecem, o carinho do público aumentou muito. Isso é muito gostoso e muito gratificante, mas a Erika continua a mesma."

Profissionalmente o reality agregou para você? Ou acha que se sua permanência na casa tivesse sido mais extensa iria agregar mais? "Com certeza. Um número maior de pessoas tiveram a oportunidade de me conhecer. Então, isso foi muito bom pra mim."

Já sentiu algum preconceito por ser ex-fazenda? "Eu acho que antigamente existia um preconceito muito grande com quem participava de reality show, essas coisas assim. Hoje em dia mudou, todo mundo gosta, todo mundo quer assistir, mas antigamente, realmente, existia muito preconceito. Eu não senti nenhum preconceito."

Participaria de outros realitys como: De Férias com Ex, Big Brother Brasil, Power Couple? "Não tenho vontade de participar por enquanto de nenhum outro reality não. Para o De Férias com Ex, já me chamaram algumas vezes, mesmo antes de A Fazenda, mas nunca foi uma vontade minha.  E é isso. Mas o futuro Deus pertence, né? A gente nunca sabe o dia de amanhã. Hoje eu não participaria, mas amanhã a gente não sabe, né?"

Bil é um grande amigo, e uma pessoa que me faz bem ter por perto.


Erika Schneider, Rico Melquiades e Bil Araujo (Foto: Reprodução/Instagram)


Sobre o amor: Acompanhando diversos portais da imprensa está sendo noticiado que você está conhecendo melhor o Bill Araújo, isso procede? "Estou feliz com essa minha fase. Bil é um grande amigo e uma pessoa que me faz bem ter por perto."

Uma dica para quem quer ser influenciador(a)? "Eu acho que você tem que postar muito conteúdo. Não adianta querer só ter seguidores pela fama e você não passar um conteúdo, uma coisa que venha agregar de alguma forma, qualquer tipo de informação, de conteúdo para as pessoas, né? Então você tem que trabalhar muito, se dedicar, gravar vários vídeos, até dar certo."

É com coração cheio de gratidão que encerramos essa entrevista com Erika Schneider, no In Magazine. Muito obrigado é uma grande honra em ter ela como nossa capa em uma exclusiva sobre a vida da Erika pós reality.

 

Foto destaque: Erika Schneider. Reprodução/Leandro Müller

LEIA MAIS
Mais Lidas