Notícias

Escolas de Samba fazem enredos em homenagem à artistas brasileiros e são rebaixadas no carnaval carioca

27 Abr 2022 - 21h58 | Atulizado em 27 Abr 2022 - 21h58
Escolas de Samba fazem enredos em homenagem à artistas brasileiros e são rebaixadas no carnaval carioca

Nos últimos dias, todas as expectativas estavam vidradas nos desfiles do carnaval. Diversas Escolas fizeram grandes protestos dentro e fora dos sambódromos. Com enredos belíssimos, as agremiações emocionaram os amantes do samba com homenagens maravilhosas. 

Religiões de matriz africana, artistas, santos e indígenas foram alguns dos enredos que fizeram parte do maior espetáculo da terra no ano de 2022. No Rio de Janeiro, as Escolas de Samba realizaram lindas homenagens ao povo negro, mas que não acabou agradando tanto – tecnicamente – aos jurados que julgavam os desfiles.   

A Grande Rio levou a melhor e se tornou a atual campeã do carnaval carioca, após trazer para a Sapucaí um forte enredo sobre o orixá Exu. Em consequência, a São Clemente ficou em último lugar e foi rebaixada para a Série Ouro, após homenagear o ator Paulo Gustavo, que morreu em 2021 vítima da Covid-19. O enredo “Minha Vida É Uma Peça”, recebeu diversas críticas sobre os acabamentos realizados nos carros alegóricos da agremiação, além da falta de emoção no samba-enredo. 

Quem levou a melhor foi a Escola de Samba Império Serrano, após fazer um enredo homenageando o capoeirista baiano Besouro Mangangá, a agremiação está de volta ao Grupo Especial e desfila na Marquês de Sapucaí em 2023. 

As agremiações que foram rebaixadas Sério Ouro para a Série Prata, no próximo carnaval não desfilam no sambódromo, mas sim na Intendente Magalhães, localizada na zona norte do Rio de Janeiro. 

A Acadêmicos do Cubango foi uma das rebaixadas este ano. Trazendo um enredo sobre a atriz Chica Xavier, que foi uma artista memorável para a televisão brasileira e morreu em 2020, aos 88 anos de idade.


Acadêmicos do Cubango (Foto: Reprodução/Instagram)


 Ademais, a Acadêmicos de Santa Cruz também caiu para a Série Prata. A Escola veio contando a história do grande ator Milton Gonçalves, uma das principais figuras negras na arte do nosso país. O ator também se encontra com 88 anos e atualmente se recupera de um acidente vascular cerebral (AVC). 

 

Foto destaque: São Clemente. Reprodução/Instagram