Saúde e Bem Estar

Estudo afirma que vacina da gripe pode diminuir em 40% o risco de Alzheimer

27 Jun 2022 - 15h20 | Atulizado em 27 Jun 2022 - 15h20
Estudo afirma que vacina da gripe pode diminuir em 40% o risco de Alzheimer

A doença de Alzheimer é responsável por provocar a deterioração das funções cerebrais, como perda de memória, da linguagem, da razão e da habilidade de cuidar de si próprio. É um transtorno neurodegenerativo progressivo e fatal. 

Cerca de 10% das pessoas com mais de 65 anos e 25% com mais de 85 anos podem desenvolver algum sintoma dessa enfermidade e são vários os casos que evoluem para demência. Assim que o diagnóstico é realizado, o tempo médio de sobrevida varia de 8 a 10 anos.

Os sintomas da doença vão avançando, existem estágios de degeneração. Alguns dos sintomas podem ser declínio mental, dificuldade em pensar e compreender, confusão durante a noite, confusão mental, delírio, desorientação, esquecimento, invenção de coisas e dificuldade de concentração. O importante é procurar um neurologista de confiança para avaliar e receber um diagnóstico preciso.


Idoso com a doença de Alzheimer (Foto: Reprodução/ S.Gnatiuk) 


Um estudo realizado pela UTHealth Houston dos Estados Unidos concluiu que pessoas que receberam pelo menos uma dose da vacina contra gripe tiveram 40% menos probabilidade de desenvolver Alzheimer. O foco dessa pesquisa são pessoas que se vacinaram ao longo de quatro anos em comparação aos não vacinados. 

Foi comparado o risco de incidência da doença entre pacientes com e sem a vacinação contra a gripe. O público utilizado para realizar a pesquisa foram adultos de 65 anos ou mais. Em matéria antecipada, os resultados prévios do estudo foram publicados. Entretanto, a versão final será publicada em agosto no período científico chamado Journal of Alzheimer’s Disease. 


UTHealth Houston local da pesquisa (Foto: Reprodução/UTHealth)


O estudo iniciou dois anos depois que pesquisadores observaram essa possibilidade entre a vacina e a doença. Ao decorrer das consultas, cerca de 5,1% dos pacientes vacinados contra a gripe desenvolveram a doença de Alzheimer. Por outro lado, 8,5% dos pacientes não vacinados desenvolveram a doença durante o acompanhamento.

“Descobrimos que a vacinação contra a gripe em adultos mais velhos reduz o risco de desenvolver a doença de Alzheimer por vários anos. A força desse efeito protetor aumentou com o número de anos que uma pessoa recebeu uma dose anual contra a gripe – em outras palavras, a taxa de desenvolvimento de Alzheimer foi mais baixa entre aqueles que receberam consistentemente a vacina contra a gripe todos os anos”, declara o pesquisador Avram S. Bukhbinder, primeiro autor responsável pelo estudo. 

 

Foto Destaque: Reprodução/Veja.