Notícias

Ex assessor de Gabriel Monteiro diz que levou pílula do dia seguinte para adolescente a pedido do vereador

08 Abr 2022 - 20h40 | Atulizado em 08 Abr 2022 - 20h40
Ex assessor de Gabriel Monteiro diz que levou pílula do dia seguinte para adolescente a pedido do vereador

Assessores e ex-funcionários do vereador Gabriel Monteiro (PL) prestaram depoimento à polícia sobre as investigações contra o parlamentar que apura o vazamento de um vídeo íntimo do vereador com uma adolescente de 15 anos.

Em depoimento à polícia, um ex-assessor de Gabriel Monteiro do PL, Fabio Neder, afirmou que já levou uma pílula do dia seguinte para a adolescente que aparece em um vídeo de sexo com o vereador

Segundo Fabio, o comprimido foi deixado na caixinha de correio da casa da garota. O ex-funcionário não especificou quando essa entrega foi feita.

Gabriel Monteiro é investigado pelo vazamento de um vídeo em que aparece fazendo sexo com a adolescente. Ex-assessores afirmaram que ele mantinha relações sexuais com diversas adolescentes na casa onde vive, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. A equipe que trabalhava nos vídeos do vereador e apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL) também ficava no local.


 

Gabriel Monteiro costuma fazer vídeos para o seu canal no You Tube. (Reprodução/The Intecept)


O vereador foi alvo de uma operação policial, que também mirou o chefe de gabinete de Monteiro, Rick Dantas, além do assessor Robson Coutinho, o ex-funcionários Heitor Monteiro, Matheus Souza e Fábio Neder e o empresário Rafael Sorrilha.

Segundo Neder, a adolescente costumava a frequentar a residência do vereador. Ela chegava a visitá-lo com roupas da escola e, por vezes, ficava estudando lá. Assim como Neder, demais funcionários de Monteiro sabiam que a jovem era menor

Robson Coutinho, que ainda é nomeado no gabinete de Gabriel Monteiro da Câmara do Rio de Janeiro, contou à polícia em depoimento, que o vereador falava aos quatro ventos que a a adolescente tinha 15 anos e a chamava de “minha novinha”.

O assessor informou também que a preocupação do vereador era fazer dinheiro com seus vídeos, e não a carreira política. Vinícius Hayden, conhecido como Vinícius Ziza, disse à polícia que Gabriel Monteiro chegava a ganhar R$ 300 mil por mês com visualizações de vídeos, ultrapassando seu salário de R$ 14,3 mil como vereador.

 

 

Foto destaque: Um de seus assessores apontou, em depoimento, que o vereador mostrava os vídeos de sexo com menores. Reprodução/Correio Braziliense.