Celebridades

Exame toxicológico revela substâncias responsáveis pela morte de Paulinha Abelha

08 Mar 2022 - 11h00 | Atulizado em 08 Mar 2022 - 11h00
Exame toxicológico revela substâncias responsáveis pela morte de Paulinha Abelha
Com base nos resultados divulgados na segunda-feira (7) do exame toxicológico de uma biópsia, além da lista de medicamentos receitados antes da internação, a cantora Paulinha Abelha, vocalista da banda Calcinha Preta, pode ter tido sua morte causada por um fígado debilitado por um mix de substâncias tomadas para dormir, ficar alerta, ganhar definição muscular e, principalmente, emagrecer.

Os resultados dos exames toxicológicos revelaram que a cantora Paulinha Abelha teve a substância em seu corpo enquanto estava internada antes de sua morte na capital de Sergipe. As informações são do portal G1. Foram positivos para a anfetamina, que já está na droga com os outros medicamentos de controle de peso de Singer. Barbitúricos em sedativos podem ser tomados durante a hospitalização porque não são prescritos.

O documento foi divulgado na última segunda-feira pelo assessor jurídico da banda, Wanderson dos Santos Nascimento. A certidão de óbito do cantor identificou quatro causas de morte: meningoencefalite, hipertensão intracraniana, insuficiência renal aguda e hepatite.


(Foto: Reprodução/Instagram)


O papel da droga na lesão parece ser uma das chaves da análise. Em entrevista ao Fantástico no dia 27 de fevereiro, o marido de Paulinha Abelha, Clevinho Santos, disse que a artista nunca tomou anabolizantes, mas "sempre toma" o tipo de medicamento "mais diurético". "Quando tem show, ela quer matar uma coisa, esses chás dietéticos", disse Clevinho.

O período de exposição ao medicamento pode ter danificado o fígado, e não está claro há quanto tempo ela está tomando de sua prescrição atual.

Mário Kondo, professor adjunto de gastroenterologia da Unifesp e hepatologista do Hospital Sírio Libanês de São Paulo aponta: "Como especulação, ela pode ter uma doença como a da enfermeira Mara Abreu. Hepatite aguda grave, se não transplantada a tempo, pode levar rapidamente à morte".

O laudo, feito após a morte da cantora, foi divulgado no dia 6 de março pela RecordTV. Durante o "Domingo Espetacular", a emissora revelou que as quatro doenças foram apresentadas como responsáveis pelo falecimento da artista.

Foto Destaque: Reprodução/Instagram