Money

Fim da pandemia, economia em plena recuperação, as previsões do JPMorgan para 2022 são alvissareiras

09 Dez 2021 - 22h24 | Atulizado em 09 Dez 2021 - 22h24
Fim da pandemia, economia em plena recuperação, as previsões do JPMorgan para 2022 são alvissareiras

A sociedade gestora de participações sociais JPMorgan Chase & Co, erigida sob uma lei do estado de Delaware no ano de 1678, mostra pelo tempo de serviços prestados que tem credibilidade para fazer previsões de sobra.  Por isso com base em sua larga experiência no mercado financeiro, já se vão mais de trezentos anos de atividade, ela serve de oráculo para os investidores. Um banco que tem esse valor de confiabilidade, não arriscaria manchar sua reputação com uma avaliação especulativa que não possuisse o espirito de uma barbada, pelo menos é o que todos esperam.

O Banco cravou previsões extremamente otimistas para 2022, isso porque a narrativa dessas antevidências afirmam que no próximo ano a economia e a população em todo mundo voltarão às suas rotinas dentro do que é uma normalidade após dois anos que ficaram na memória como um período dos mais dramáticos na história atual da humanidade.

“A nossa visão é que 2022 será o ano de uma recuperação global completa, o fim da pandemia e um retorno às condições normais que tínhamos antes do surto de covid-19” , declarou Marko Kolanovic, estrategista-chefe de mercados globais da instituição centenária, por meio de nota enviada aos clientes, de acordo com a rede CNN.


JPMorgan, tradição, credibilidade, confiabilidade e mais de trezentos anos de serviços financeiros prestados. (Foto: Reprodução/BancaNews).


No mesmo documento divulgado pelo maior dos quatro bancos nos Estados Unidos da América, Jamie Dimon, presidente e CEO da instituição, deixa clara que suas afirmações se baseiam nas imunidades criadas através das doses de vacinas, e de medidas preventivas contra o Covid-19 empregadas ao redor do globo terrestre, mesmo com um pequena resistência por parte de alguns na hora de seguirem todos os protocólos estabelecidos.

Essa atitude positiva e consciente vai deflagrar uma robusta cura na economia, e dizem especialistas, vai pontuar o recomeço da mobilidade global e um aumento no volume dos gastos de empresas e consumidores. Para deixar o mercado ainda mais confiante para o ano de 2022, o JPMorgan vislumbra que haja crescimento prolongado no segmento de ações, mesmo que ela aconteça em um ritmo um pouco mais lento.

Acompanhe alguns trechos da nota divulgada: Em 2021, as economias em todo mundo o fizeram grande progresso em direção á recuperação e reabertura. saindo do mesmo documento, há um destaque sobre a recuperação que foi irregular, e que existe um trabalho a ser feito. Os mercados começarão ajustar-se às condições monetárias mais restritivas, um processo que provavelmente gerará volatilidade”

 

https://inmagazine.ig.com.br/post/As-dez-gigantes-que-faturam-R-8061-bilhoes-confira-a-lista-Forbes-Agro100

https://inmagazine.ig.com.br/post/Primeiro-superavit-primario-do-setor-publico-desde-2013

https://inmagazine.ig.com.br/post/Expectativa-para-2022-e-que-Brasil-aumente-as-vendas-de-carne-suina-para-Russia

Para saber se eles acertarão nessas previsões e vão honrar o nome do fundador do banco e que da nome a instituição, John Perpont Morgan, nós vamos precisar esperar por 2022. Até lá, acompanhe todas as notícias com a gente no portal InMagazine.ig.com.br 

Foto destaque: Reprodução/Barron`s.