Notícias

Golpistas de compras on-line buscam atingir mais usuários de celulares e usam preços 14% mais baratos como estratégia

27 Jun 2022 - 16h03 | Atulizado em 27 Jun 2022 - 16h03
Golpistas de compras on-line buscam atingir mais usuários de celulares e usam preços 14% mais baratos como estratégia

Os celulares estão em primeiro lugar na lista de produtos com mais fraudes no comércio eletrônico e os números de tentativas de golpes tendem a aumentar mais, como informa dados de uma pesquisa da OLX, plataforma de compra e venda on-line, e do AllowMe, de proteção de identidades digitais, feita no período de janeiro a maio de 2022. Segundo o levantamento, os fraudadores costumam anunciar produtos que apontam preços 14% mais baratos para atrair vítimas.

Somente no estado do Rio, o prejuízo estimado nos cincos primeiros meses do ano foi da ordem de R$ 7,3 milhões. Em todo o país, o total de fraudes chegou a R$ 62,9 milhões. O chamado golpe da compra confirmada é o mais comum no Rio, seguido pelo do anúncio falso.

A fraude ocorre quando um fraudador se passa por comprador, forja o pagamento para resgatar o produto, ao enviar um falso comprovante. Em relação ao anúncio falso, o golpista oferece um produto inexistente, recebe o dinheiro, mas não envia a mercadoria.

A diretora de produto e operação da OLX, Beatriz Soares, explica que o celular é um produto muito visado porque é de alto valor agregado, fácil de manusear e revender.

"Existe um aumento de compra de celulares usados, e o crescimento de fraudes se dá na esteira disso", diz, ainda, a diretora da OLX.

Os celulares representam 48% dos golpes, seguidos por videogames (20%) e computadores (11%).

A engenheira e líder de produtos do AllowMe, argumenta que os fraudadores em geral não agem sozinhos.

"Em geral, são quadrilhas especializadas. Eles entram em contato com muita gente, porque sabem que muitos não cairão no golpe. Eles agem em escala. Geralmente, são pessoas especializadas em cada processo e testam os golpes", afirma a engenheira do AllowMe.

Camila Cardoso, funcionária de uma agência de eventos, 33 anos, conta que foi vítima de três golpes. Em dois deles, foram casos em que sofreu com golpistas em sites falsos e não conseguiu reaver o que pagou. Em outra ocasião, ela fez uma compra em um site considerado grande, mas também não recebeu o produto. A plataforma marketplace devolveu o dinheiro por meio de estorno do cartão de crédito.

"Fiz uma compra de uma minigeladeira em um marketplace. E o vendedor cobrou o frete por fora. Após o prazo de entrega, entrei em contato com o site, que estornou R$ 500 no cartão de crédito. Antigamente, tinham sinais mais claros de golpe. Hoje, não. Parece tudo certinho", relatou.


A pesquisadora do Centro de Tecnologia e Sociedade (CTS), Beatriz Castilho, aconselha o consumidor usar a plataforma marketplace para se resguardar de um suposto golpe. (Foto: Reprodução/Adobe Stock)


As principais fraudes e como se proteger

Compra confirmada: O fraudador faz um falso comprovante de depósito com os dados da vítima e o envia por e-mail ou aplicativo de mensagem, o que faz a pessoa acreditar que o valor já foi depositado e entregue o produto da venda. Quando a vítima percebe o golpe, o golpista já está com o produto e deixa de responder às mensagens.

Como se prevenir: Só entregue o produto após a confirmação do depósito em sua conta bancária ou carteira digital. Mantenha a conversa pelos chats das plataformas e evite negociar por aplicativos de mensagens. Desconfie de mensagens ou e-mails que simulem comunicados oficiais das empresas, verifique o domínio do e-mail (xx@nomedaempresa) e cheque sempre o status da negociação no site ou no aplicativo da empresa.

Anúncio falso: O fraudador insere o anúncio de um produto nas plataformas de compra e venda, com o objetivo de atrair as vítimas. Na maioria das vezes, o produto é 14% mais barato do que o valor normal de mercado. Imaginando ser uma oferta real, a vítima faz o pagamento e não recebe o produto.

Sites falsos: Falsas páginas na internet e em redes sociais fazem anúncios tendenciosos para chamar atenção de compradores com a oferta de celulares novos, porém muito abaixo do preço de mercado. Também costumam destacar que há poucas unidades dos produtos e que a oferta dura apenas poucas horas, podendo convencer que as pessoas façam o pagamento rapidamente, sendo que o produto não é enviado.

Como se prevenir: Pesquise sobre a loja virtual antes e verifique se há reclamação de outros usuários.

Foto em destaque: Usuários de celulares enfrentam o perigo de serem alvos de golpe em compras pela internet. (Hermes de Paula/ Agência O Globo)