Money

Grupo Credit Suisse limita IPCA de 2022, mas em 2023 e 2024 as projeções sobre a inflação são de alta

10 Jun 2022 - 23h59 | Atulizado em 10 Jun 2022 - 23h59
Grupo Credit Suisse limita IPCA de 2022, mas em 2023 e 2024 as projeções sobre a inflação são de alta

 

O grupo Credit Suisse mudou a projeção do IPCA para 2022, concomitantemente aumentou a cálculo para o ano que vem por causa da mobilidade que influencia sobre repercussão das providências que o governo anunciou durante a última semana com objetivo de mitigar a taxação federal e estadual concernente aos combustíveis, produtos e serviços públicos.

Os novos cortes tributários, mais a base do IPCA em maio divulgado dia 9, abaixo da expectativa do mercado, fizeram o banco diminuir a projeção de alta da Selic na semana que entra, ressaltando o risco aumentado para o roteiro da taxa de juros.

“As medidas do governo para reduzir a inflação neste ano devem ser vistas como um risco para a trajetória dos juros futuros, dado que a potencial reversão de parte dos cortes de impostos e maior risco fiscal devem elevar as expectativas de inflação para 2023 e 2024, anos-calendário que estarão no horizonte da política monetária nas próximas reuniões”, comentou o Credit Suisse por relatório.



O Poder Executivo publicitou durante a semana a proposição de Emenda Constitucional que extingue transitoriamente tributos de natureza federal e estadual em cima dos combustíveis, a despesa aproximada chega à R$ 40 bilhões. No Congresso, um projeto que delimita a alíquota de ICMS sobre gás natural, combustíveis, comunicações, transporte coletivo e energia elétrica passa por avaliação.

O banco através de relatório informou que espera um atravessamento segmentado das medidas relacionadas aos valores finais este ano, por outro lado, os cortes tributários em 2023 alimentará a inflação do próximo ano e de 2024. Com a redução o IPCA  saiu de 9,8% e desceu até 7,6%. Já em 2023 a expectativa foi de 5,1% e subiu para 5,3%.

Com isso a alta da Selic na próxima semana foi reduzida de 75 para 50 pontos-base, caindo 25 pontos.  Apesar disso, mantemos nossa projeção de que o BC continuará elevando a taxa em agosto, em 50 pontos-base, e manterá as taxas em nível alto por mais tempo”, afirmou o banco. Na quinta-feira o IBGE divulgou a desaceleração do IPCA em maio, 0,47%, enquanto no mês de abril batia 1,06, isso marcou a taxa mensal inferior desde abril de 2021 (+0,31%). 

Foto destaque: Reprodução/ DiarioRioNegro