Notícias

Guedes diz ser inadmissível não conseguir vender empresas

21 Dez 2021 - 12h00 | Atulizado em 21 Dez 2021 - 12h00
Guedes diz ser inadmissível não conseguir vender empresas

Em uma entrevista coletiva de fim de ano, durante esta sexta-feira (17), o ministro do Ministério da Economia, Paulo Guedes, afirmou ser "inadmissível que não se consiga vender". Guedes se queixa da ação de outros poderes que, segundo ele, atrapalha os planos liberais do governo de Jair Bolsonaro de negociar órgãos estatais e torna-los bens privados.

"É inadmissível que não se consiga vender. Se não fica parecendo que é operação tartaruga, para descumprir a vontade popular. O presidente se comprometeu com o programa de privatização. Na hora que vai privatizar, outros Poderes impedem a privatização? Isso cria precedente desagradável", contou o ministro Paulo Guedes em sua entrevista coletiva de final de ano.

Um agravante para o pensamento de Paulo Guedes foi a decisão ocorrida na última quinta-feira (15). O Tribunal de Contas da União (TCU) acabou por retardar um julgamento sobre a privatização da Eletrobrás, uma vez que o ministro Vital do Rego pediu vistas sobre o caso.

Vital do Rego afirma que o Ministério de Minas e Energia "não deixou claro qual será o impacto tarifário quando a privatização ocorrer". A declaração foi proferida durante a sessão plenária.

Já o ministro Paulo Guedes afirmou nesta sexta que manterá diálogo com Vital do Rego sobre a pauta:

"Quem me tranquilizou a respeito foi o ministro Aroldo Cedraz, que disse que são observações importantes, mas que não impedem a privatização", ponderou Guedes.

Aroldo Cedraz, a quem o ministro Paulo Guedes se refere, é o relator do processo que trata da privatização da Eletrobras no TCU.


Ministro da Economia, Paulo Guedes, em reunião (Foto: Isac Nóbrega/PR)


"Tivemos dificuldades aqui, ali, é natural. Às vezes o TCU dá uma sugestão, às vezes o Supremo dá outra sugestão. Está tudo certo. A democracia é assim mesmo. Agora, nós esperamos que em quatro anos seja possível vender duas empresas estatais", contou o ministro Paulo Guedes, que tem esperanças em ver os Correios entrando nos meandros da privatização no governo Bolsonaro.

Metaverso mudou a forma como as grandes empresas investem e funcionam

Kate Middleton recusou convite para participar da festa de natal com a rainha

Supertufão nas Filipinas deixa milhares de desabrigados

Paulo Guedes tem a missão, como ministro da Economia, de tocar as privatizações a serem feitas durante o governo diuturno, mas, por enquanto, o economista coleciona frustrações.

Foto de destaque: Alan Santos/PR