Esportes

Haas anuncia saída de Mazepin e Pietro Fittipaldi pode herdar a vaga do russo

05 Mar 2022 - 14h20 | Atulizado em 05 Mar 2022 - 14h20
Haas anuncia saída de Mazepin e Pietro Fittipaldi pode herdar a vaga do russo

Por conta do conflito entre Rússia e Ucrânia, a Fórmula 1 decidiu aplicar sanções aos pilotos e empresas russas, que patrocinam equipes da categoria. A Haas anunciou que o russo Nikita Mazepin não disputará a temporada 2022 pela equipe. Com a saída do piloto, o brasileiro Pietro Fittipaldi, neto do bicampeão Emerson Fittipaldi, disputa a vaga com o italiano Antonio Giovinazzi, que atualmente está na Fórmula E pela Dragon Race, mas já foi piloto da F1 entre 2019 e 2021 quando guiava um dos carros da Alfa Romeo.



Fittipaldi é o piloto reserva da equipe americana e já disputou duas corridas em 2020. O novo piloto titular do time será anunciado nos próximos dias e já assume o volante na pré-temporada do Bahrein no próximo fim de semana, de 10 a 12 de março. A temporada terá início dia 20 de março, com o GP do Bahrein.

Em entrevista ao jornalista Bob Varsha, no último mês, o chefe da Haas, Gunther Steiner disse: "Se Nikita não puder correr, por um ou outro motivo, a primeira opção será Pietro. Obviamente, ele está conosco há alguns anos. E então veremos o que faríamos a seguir. Nos últimos anos precisávamos de um piloto reserva com a Covid por perto. Pietro sempre esteve por perto, conhece o time, conhece o carro. Para pular de um dia para o outro, não há ninguém melhor do que Pietro".

Além da saída de Mazepin, a montadora americana fez a retirada do principal patrocinador do time, uma marca russa de fertilizantes, que tem como proprietário Dmitry Mazepin, pai de Nikita. A Haas removeu os logos da empresa de seus carros, uniformes e veículos de apoio da equipe, as menções a bandeira russa também foram removidas.

Pietro Fittipaldi, de 25 anos, passou pela Stock Car no Brasil e foi piloto Fórmula Indy nos Estados Unidos. O brasileiro é piloto da Euro Le Mans Series e reserva da Haas na F1. Na temporada 2020, ele assumiu o volante da equipe americana no lugar de Romain Grosjean nos GPs de Sakhir e Abu Dhabi, depois que o franco-suíço sofreu um grave acidente na etapa do Bahrein. Seu melhor resultado na Fórmula 1 foi um 17º lugar.

Já Antonio Giovinazzi disputou três temporada na F1, entre os anos de 2019 e 2021, todas pela Alfa Romeo. O italiano deixou a categoria com 62 GPs e teve o seu melhor resultado no GP do Brasil de 2019 quando ficou no quinto lugar. Terminou o campeonato de 2021 na 18ª colocação do Mundial de Pilotos, com três um nono lugar na Arábia Saudita como melhor resultado na temporada.

A decisão da Fórmula 1 vai na mesma direção de todo o mundo à invasão russa. Na F1, o primeiro ato foi o cancelamento do GP da Rússia, que seria realizado em 25 de setembro.

 

 

Foto destaque: Pietro Fittipaldi em Interlagos. Reprodução/Pietro Fittipaldi-Twitter.