Notícias

Halo solar é visto no céu de Pernambuco e chama a atenção

14 Jan 2022 - 15h52 | Atulizado em 14 Jan 2022 - 15h52
Halo solar é visto no céu de Pernambuco e chama a atenção

Um fenômeno natural foi visto na manhã de quinta-feira, 13, no céu de Pernambuco e chamou a atenção de muitas pessoas. Trata-se da formação de um halo solar que ocorreu depois das chuvas de 30 milímetros que caíram no Grande Recife, e que resultou em um arco-íris ao redor do sol. Também foi observado nas cidades da Zona da Mata e do Agreste do estado.

O fenômeno do halo solar ocorre quando a luz do sol ultrapassa os cristais de gelo ao passar pela atmosfera. A luz do sol é refletida e refratada por pequenos cristais de gelo que ficam suspensos na troposfera, camada da atmosfera localizada a 17 quilômetros de altitude, causando a dispersão da luz. Esse formato circular do halo está conectado à estrutura hexagonal dos cristais.

Como esse fenômeno funciona

Cleiton Batista, que faz parte da coordenação do Observatório Astronômico da Sé, explica que a percepção do evento dependerá de onde a pessoa está.

“Cada pessoa que está fazendo o registro tem uma visualização bastante pessoal. Se eu fotografo aqui da minha casa, não vou ter a mesma percepção de outra pessoa que está observando”, diz o especialista. Isso diz que, para alguns, a parte interna do halo pode ser mais escura do que para outros.

Cleiton ainda acrescenta que a formação do halo, conhecido como halo de 22 graus, o raio do círculo ao redor do sol ou da lua, é favorecida pela presença as nuvens do tipo cirrus na troposfera.

“Costuma ser rápido e depende da conformidade das nuvens. Vai sumindo, vai desaparecendo. Ano passado, a gente teve algumas visualizações e pode ocorrer também com a visualização da lua”, explica. Quando isso ocorre com a lua, o fenômeno é chamado halo lunar

Roberto Pereira, meteorologista da Agência Pernambucana de Águas e Clima, a Apac, afirma que o evento funciona como uma espécie de prisma.



“Ele acontece geralmente devido a chuvas com nuvens altas, que estão a em torno de dez a 12 quilômetros de altura. Por causa disso, essas nuvens são formadas por cristais de gelo fininhos, que formam uma espécie de película. O que você vê é o sol através dos cristais”, explicou o meteorologista.

Roberto também disse que o halo solar não indica nenhum fenômeno meteorológico específico.

“A luz branca é formada por sete cores, as cores do arco-íris. O halo é formado em círculo devido ao formato do sol. Isso não é indicativo de que vai ter chuva forte ou algum outro evento”, afirmou Roberto.

O meteorologista disse, também, que um vórtice ciclônico foi o que causou as chuvas e, em seguida, o halo solar.  “Estamos passando por um vórtice ciclônico de altos níveis, que já está bem dentro do continente. E, por isso, por ser de altos níveis, há a formação dessas nuvens a 12 quilômetros de altura”, detalhou.

 

Foto destaque: Reprodução/Alfeu Tavares/Folha de Pernambuco

LEIA MAIS