Notícias

Heineken e Carslberg anunciam saída de suas empresas da Rússia

29 Mar 2022 - 20h54 | Atulizado em 29 Mar 2022 - 20h54
Heineken e Carslberg anunciam saída de suas empresas da Rússia

As cervejarias Carlsberg e Heineken anunciaram na última segunda-feira (28), que deixarão a Rússia, juntando-se a um número crescente de empresas ocidentais que estão saindo do país em meio à guerra na Ucrânia. Empresas multinacionais do setor de alimentos e bebidas, como Coca-Cola, Starbucks, McDonald's Burger King e KFC, mas também de outros segmentos, casos de Apple Samsung e Goldman Sachs.

Iniciado em 24 de fevereiro, o conflito na Ucrânia vem provocando uma série de decisões que estão sendo prejudiciais aos russos dentro do mercado cervejeiro e em outros setores da economia. Uma delas foi tomada pela AB InBev, uma empresa multinacional de bebidas e cervejas, que solicitou à sua parceira no mercado local que deixe de vender e fabricar a Budweiser, a empresa é a vice-líder do mercado russo.

A segunda maior produtora da cerveja do mundo já havia suspendido as vendas e a produção de sua marca na Rússia e suspendeu novos investimentos e exportações para o país neste mês.

"Estamos muito chocados e tristes ao observar que a guerra na Ucrânia continua e está se intensificando", afirmou a Heineken em um comunicado.


Heineken, disse que garantirá os salários de seus 1.800 funcionários na Rússia até o final do ano. (Reprodução/Diário do Nordeste)


O Grupo Heineken iniciará, assim, um processo de transição para encerrar suas operações na Rússia. "Nosso ojetivo é uma transferência ordenada de nossos negócios para um novo proprietário em total conformidade com as leis internacionais e locais. Para garantir a segurança e o bem-estar contínuos dos nossos colaboradores e minimizar o risco de nacionalização, concluímos que é essencial continuarmos com as operações recentemente reduzidas durante este período de transição", afirma.

A Carlsberg, cervejaria dinamarquesa, anunciou a venda de suas operações no país, onde possui 8,4 mil empregados.

"Tomamos a decisão difícil e imediata de buscar uma alienação total de nossos negócios na Rússia, o que acreditamos ser a coisa certa a fazer no ambiente atual, após a conclusão, não teremos presença na Rússia." Afirmou a Carlsberg.

A Carslberg é líder no mercado russo com uma participação de 27%, por ser proprietária da maior cervejaria do país, a Baltika. Os ativos não circulantes da cervejaria dinamarquesa na Rússia somavam 19,2 bilhões de coroas (2,83 bilhões de dólares) no final de 2021, representando cerca de 15% do total ou 44% do patrimônio total, segundo relatório anual da companhia

"Qualquer lucro gerado durante a crise humanitária será doado a organizações beneficentes", afirmou o chefe do grupo, Cees't Hart.

 

Foto destaque: Conflito na Ucrânia estão sendo prejudiciais aos russos dentro do mercado cervejeiro. Reprodução/Nenroll-Nenroll.