Esportes

Iguodala rebate críticas e defende título de MVP das finais de 2015

07 Jun 2022 - 10h50 | Atulizado em 07 Jun 2022 - 10h50
Iguodala rebate críticas e defende título de MVP das finais de 2015

Nas finais da NBA de 2014-15, a equipe do Golden State Warriors enfrentou o Clevaland Cavaliers, de LeBron James. Na ocasião, os californianos venceram o confronto por 4 a 2, iniciando o que seria uma disnatia nos próximos anos da liga.

Para muitos torcedores e especialistas, o prêmio de melhor jogador das finais deveria pertencer ao revolucionário Stephen Curry, que teve médias de 26 pontos, 6.3 assistências e 5.2 rebotes na série. Mas, o prêmio acabou indo para o seu companheiro de equipe: Andre Iguodala.

O acontecimento certamente é incomum, por Iguodala se tratar de um ‘’coadjuvante’’ em um elenco que contava com Klay Thompson e Draymond Green – formando o ‘’Big 3’’ do Warriors. Hoje, cada vez mais fãs acreditam que a NBA errou ao não dar o prêmio para Curry. Porém, para o próprio Iguodala, ele foi sim merecedor da premiação.

"Eu mereci o prêmio, pois aproveitei ao máximo aquela oportunidade. O esquema foi montado para eu desacelerar LeBron James e, certamente, fiz meu trabalho. Além disso, a defesa estava focada em Stephen Curry e Klay [Thompson]. Então, eu fui acionado no ataque e tomei a decisão correta. Não costuma ocorrer em finais, mas estava pronto’’, disse o experiente ala, em entrevista concedida ao site The Athletic.


Curry e Iguodala, respectivamente (Foto: Jesse D. Garrabrant/Getty Images)


Iguodala venceu o prêmio pela sua defesa em cima de LeBron James, na época considerado o melhor jogador do mundo. Algo até então inédito para os parâmetros do prêmio. O ala também teve um aproveitamento produtivo no ataque, obteve médias de 16.3 pontos, 5.8 rebotes e 4.0 assistências, com cerca de 44% de aproveitamento nos arremessos.

"Eu assisto aos vídeos dos jogos e, acima de tudo, fiz tudo direitinho. Quando o jogo dizia ‘arremesse’, por exemplo, acertava. E passava a bola nos momentos exatos em que os passes abriam. Não anulei LeBron, mas acredito que dificultei suas ações. Ficou mais difícil porque precisava pensar duas vezes antes de cada decisão’’, analisou o jogador, que irá se aposentar ao fim da temporada.

Foto Destaque: Reprodução/Twitter