Saúde e Bem Estar

Losartana da Medley: remédio recolhido do mercado pode causar mutação genética e câncer

11 Mar 2022 - 14h57 | Atulizado em 11 Mar 2022 - 14h57
Losartana da Medley: remédio recolhido do mercado pode causar mutação genética e câncer

A farmacêutica Sanofi Medley anunciou a retirada voluntária e preventiva de três formulações de medicamentos com o princípio ativo losartana do mercado. Essa decisão foi tomada após serem encontradas impurezas nos comprimidos que podem causar mutações genéticas e aumentar o risco de câncer.


Medicamento Losartana Medley (Reprodução/G1)


Nesse sentido, a losartana é um medicamento usado para tratar pressão alta e insuficiência cardíaca, condição em que o músculo do coração fica enfraquecido e não consegue bombear sangue da maneira adequada.

Dessa forma, interromper o tratamento com a medicação, pode trazer riscos para a saúde do paciente.

Entre os lotes recolhidos pela Medley, estão:

  1. losartana potássica + hidroclorotiazida 50 mg + 12,5 mg
  2. losartana potássica + hidroclorotiazida 100 mg + 25 mg
  3. losartana potássica 50 mg e 100 mg

Dessa forma, caso você tenha algum desses lotes em sua residência, leve imediatamente para uma farmácia e não consuma o medicamento. 

De acordo com a Anvisa, as impurezas, também chamadas de nitrosaminas, podem causar mutação no DNA de uma célula e a transformar em uma célula cancerígena, mas isso ainda não foi confirmado por estudos clínicos.

Em nota divulgada pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, na quinta-feira (10), "até o momento, não foram relatados problemas semelhantes em outros medicamentos pertencentes à classe de bloqueadores dos receptores de angiotensina ou mesmo de losartana em monoterapia ou combinação por outras indústrias farmacêuticas".

É importante dizer que, os pacientes não devem fazer a interrupção do tratamento para hipertensão, mas sim procurar aconselhamento médico para mudar a medicação, já que existem vários outros medicamentos anti-hipertensivos que podem substituir a losartana.

"A população não deve ficar assustada nem desesperada. Pelo contrário, há todo o apoio da sociedade médica para fazer a procura do serviço de saúde e ajuste de suas medicações. Nunca pare o tratamento, sempre procure orientação médica antes", alerta o cardiologista Ítalo Menezes Ferreira.

Foto Destaque: Pessoa segurando cartela de remédios Reprodução/Pexels.