Notícias

Lula oficializa pré-candidatura neste sábado em ato para 4 mil pessoas

06 Mai 2022 - 14h54 | Atulizado em 06 Mai 2022 - 14h54
Lula oficializa pré-candidatura neste sábado em ato para 4 mil pessoas

SÃO PAULO - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) oficializa neste sábado (07) sua pré-candidatura à presidência da República durante evento com expectativa de reunir mais de 04 mil pessoas. Vice na chapa encabeçada pelo petista, o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB) deve participar de forma virtual, uma vez que foi diagnosticado com covid-19 nesta sexta-feira (06).

O lançamento da pré-candidatura aconteceu no centro de convenções Expo Center Norte, na capital paulista, às 10h da manhã. Dentro do PT, a avaliação é de que o evento adotará o tom do movimento das Diretas Já!, que pedia o retorno das eleições diretas entre 1984 e 1985, e pretende concretizar a ideia da frente ampla.

Cerca de 04 mil pessoas são esperadas no evento que selará a chapa presidencial, dentre políticos, lideranças partidárias e de movimentos sociais, além de pré-candidatos aos governos estaduais, artistas, sindicalistas e representantes da sociedade civil.

Sete partidos compõem a aliança pela qual o petista tentará voltar ao Planalto: PT, PSB, PV, PSOL, PCdoB, Rede e Solidariedade. Políticos do MDB, como Eunício Oliveira e Renan Calheiros, e do PSD, como Omar Aziz (AM) e Otto Alencar (BA), também comparecerão ao ato deste sábado.

O discurso do petista deve seguir a mesma linha do que disse ele ao ter as condenações anuladas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin. A ideia, segundo integrantes do PT confidenciaram à In Magazine, é fazer um pronunciamento à nação, trazendo pontos de um futuro programa de governo.

Não há no radar da cúpula petista uma reedição da Carta ao Povo Brasileiro, documento lançado por Lula em 2002 para acalmar o mercado financeiro e a elite empresarial. O petista pretende falar em união e reconstrução do país, como forma de abordar as políticas administradas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) nos últimos quatro anos.


Cerca de 04 mil pessoas são esperadas no evento, que acontece em São Paulo. Reprodução/Ricardo Stuckert


O discurso de união tende a ser estratégico para decantar eventuais críticas sobre a aliança Lula-Alckmin. Adversários históricos, o petista e o ex-tucano juntos na mesma chapa, além de acenar ao centro e atrair um eleitorado mais moderado, quer dar o tom adotado nas Diretas Já!, quando posições político-ideológicas precisavam ser colocadas de lado para derrotar a ditadura militar de 1964.

A economia terá grande destaque nas falas de Lula e Alckmin. O foco será as políticas voltadas aos mais pobres – este ponto será bem explorado, com a materialização das condições a que a parcela mais carente da população tem sido submetida.

 

ALCKMIN COM COVID

Apesar de o ex-governador de SP ter sido diagnosticado com a doença, integrantes do PT afirmaram à In Magazine que o evento de lançamento está mantido. Alckmin participou por videoconferência do ato. Segundo auxiliares, o ex-tucano apresenta apenas sintomas leves.

 

Foto: PSB formaliza indicação do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin para vice da chapa de Lula Filipe Araújo/AFP