Celebridades

Maguila relata triste realidade do diagnostico ‘demência pugilística’

11 Fev 2022 - 11h14 | Atulizado em 11 Fev 2022 - 11h14
Maguila relata triste realidade do diagnostico ‘demência pugilística’

José Adilson dos Santos Rodrigues mais conhecido como Maguila relatou em entrevista o que tem vivido após receber o diagnóstico de Encefalopatia Traumática Crônica (ETC), conhecida como ‘demência pugilística’. O ex-lutador e astro do Boxe recebeu tal diagnostico por ter recebido vários golpes diretos em sua cabeça ao longo de sua carreira.

Maguila mora há cinco anos em uma clínica na cidade de Itu, interior de São Paulo, para que recebe um atendimento mais específico para sua doença que é de ordem neurodegenerativa evolutiva e incurável, o tratamento na clínica tem como objetivo melhorar e prolongar a qualidade de vida do ex-atleta.

O ex-boxeador que está com 63 anos vive há anos com a doença.  Maguila foi boxeador entre os anos de 1983 até 2000. Participou de 85 lutas oficiais, obteve um número extraordinário de 77 vitorias, sendo 61 por nocaute. Lutou com nomes lendários do Boxe, entre eles Evander Holyfield e George Foreman.

Na entrevista Maguila diz: "Quero mandar um abraço para todo o povo brasileiro que me viu lutar. Estou bem e fiquem tranquilos. Só não posso mais lutar, mas estou bem. Essa doença que nem sei falar o nome, mas é difícil. É para o povo ficar tranquilo que estou bem."


Irani, Maguila e trabalhadores da clínica (Foto: Arquivo pessoal Irani)


O tratamento que Maguila faz é paliativo e apresenta uma rotina constante de atividades programadas para que o corpo do boxeador responda. Faz uso de canabidiol que auxilia no tratamento para que Maguila recupere funções motoras, memoria, além de melhorar o humor no dia a dia.  

Sua esposa, Irani Pinheiro é visita constante na clínica. Maguila chegou até conhecer duas netas em visita da família.

 "O Maguila está bem, ele tem uma doença degenerativa e progressiva, mas temos uma equipe que cuida dele 24 horas. É uma equipe que vem trabalhando para que ele tenha uma qualidade de vida melhor. A cada dia a gente vê o carinho que as pessoas têm pelo Maguila" relata Irani.

Apesar de muitos progressos, Maguila precisa se manter internado na clínica, por ter a necessidade de cuidados e controle médico especializado 24 horas por dia.

Foto destaque: Maguila na clínica. Reprodução/RedeGlobo