Esportes

Manchester City domina Chelsea e dispara na liderança do inglês

17 Jan 2022 - 14h35 | Atulizado em 17 Jan 2022 - 14h35
Manchester City domina Chelsea e dispara na liderança do inglês

Nesse último sábado (15) o líder da Premier League, Manchester City recebeu o Chelsea em busca de ampliar sua vantagem na liderança do campeonato inglês. E mais uma vez o time de Guardiola levou a melhor e venceu pelo placar de 1 a 0. Agora o líder do campeonato chega aos 56 pontos em 22 jogos, e abre 11 pontos de vantagem para o vice-líder Liverpool, que ainda tem um jogo a menos para realizar. 

Com a derrota, o Chelsea vê a disputa pelo título inglês cada vez mais difícil. O time que na última temporada foi a pedra no sapato de Guardiola eliminando o City da FA Cup na semifinal e derrotando o técnico espanhol na final da Liga dos Campeões, ambos resultados de 1 x 0, esse ano parece que não conseguira repetir os feitos. Esse foi o segundo confronto na temporada e novamente o time de Tuchel saiu derrotado pelo placar de 1 a 0, e agora o time que liderou a competição por um bom tempo, vê o atual líder abrir 13 pontos de vantagem. 


De Bruyne marcou o gol da vitoria no classico contra o ex-time (foto: Reprodução/ REUTERS)


Resumo do jogo: 

O primeiro tempo foi bem equilibrado, mas o time comandado por Tuchel tinha dificuldades para finalizar no ataque e permitia muitos espaços na defesa. No segundo tempo o jogo mudou, o time de Guardiola começou um total ataque contra defesa, e comandava as ações ofensivas da partida, mas parava nas mãos de Kepa. Até que aos 70 minutos, Kevin de Bruyne acertou belo chute de fora da área para abrir o placar. Estando atrás do placar, os visitantes tentaram esboçar uma reação mas continuaram sendo pressionados pelos donos da casa, e terminaram a partida sem balançar as redes e com o total de apenas um chute em direção ao gol.  O City ainda teve oporunidades para ampliar o placar, mas os atacantes nao pareciam estar com apontaria em dia.

 

 

Foto destaque: Partida entre o Manchester City e Chelsea. Reprodução/REUTERS