Esportes

Mbappé supera Messi e CR7 e é o jogador mais bem pago do mundo

08 Out 2022 - 09h15 | Atulizado em 08 Out 2022 - 09h15
Mbappé supera Messi e CR7 e é o jogador mais bem pago do mundo

Kyllian Mbappé se tornou o jogador mais bem pago do mundo. Segundo a revista “Forbes” o atleta francês desbancou Lionel Messi e Cristiano Ronaldo que tinham sete anos liderando essa lista. Após sua última renovação de contrato, Mbappé irá ganhar U$128 milhões por ano, algo em torno de R$666 milhões de reais.

Na atual lista temos o único brasileiro no top-10, Neymar, que está logo atrás dos três craques, ocupando a quarta posição. Ainda no top-10, temos dois jogadores do milionário Manchester City, o norueguês Haaland, e o belga De Bruyne. 

Haaland também é muito novo e surpreende em frequentar essa lista, o jogador recém transferido para a Inglaterra assumiu a sexta colocação do ranking, e o belga que chegou ao City em 2015, e hoje ocupa a décima posição. Lembrando que os valores contam o salário, bônus e acordos feitos para a temporada, não considerando os impostos e taxas.

Na lista tem dois nomes que surpreendem, Iniesta, que está desde 2018 no Japão e ainda está na nona posição do top-10, e o Hazard, o belga que pouco foi utilizado pelo Real Madrid na temporada passada ainda recebe um alto valor por temporada, está na oitava posição. Completam essa lista Salah, em quinto, e Lewandowski, em sétimo. Lembrando que o atual melhor do mundo é uma peça fundamental e recém chegada do Barcelona.


Mbappé na celebração da sua renovação de contrato. (Foto:Reprodução/Instagram)


Mbappé chegou a primeira colocação logo após renovar seu contrato. O interesse forte do Real Madrid no início desta temporada fez com que o presidente e dono do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaifi, não medisse esforços para convencer o jogador. O atual salário do francês é de U$110 milhões de euros, um dos maiores salários da história do futebol. Além dos acordos comerciais, gira em torno de U$18 milhões de euros.

No total a “Forbes” estima que somente os três primeiros do ranking são responsáveis por mais de 50% do top-10, isso desconsiderando impostos e taxas.



Foto destaque. Mbappé celebrando seu gol. Reprodução/Franck Fife/Afp