Saúde e Bem Estar

Média móvel de mortes por Covid-19 é de 96 óbitos diários

24 Abr 2022 - 16h26 | Atulizado em 24 Abr 2022 - 16h26
Média móvel de mortes por Covid-19 é de 96 óbitos diários

Dados apurados pelo consórcio de veículos de impressa, formado pelos jornais: G1, O Globo, Extra, O Estado de São Paulo, Folha de São Paulo e Uol, apontaram que 96 pessoas morrem por dia em média da doença, uma redução de 36% no número de óbitos decorrentes do coronavírus, em comparação com 7 dias atrás. O média de casos está em 13.716, houve redução de 35% comparado a 2 semanas.

Ao todo foram 30.341.854 casos conhecidos da doença. 662.663 brasileiros perderam a vida para a Covid desde o início da pandemia. Nas última 24 horas foram registrados 45 óbitos e 13.716 casos da doença.


Modelo Coronavirus Reprodução/CNN Brasil


Vale ressaltar que 10 estados não registraram nenhuma morte nas últimas 24 horas, são eles: Alagoas, Amapá, Espirito Santos, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Piauí, Amazonas e Sergipe.

Os dados do consórcio apontaram também que no pior momento da pandemia, em 31 de janeiro de 2022, a média móvel superou a marca de 188 mil casos conhecidos diariamente, período correspondente a chegada ao Brasil da variante Ômicron, que se disseminava pelo mundo.

Cinco Unidades da federação não apresentaram dados no ultimo levantamento. São eles: Distrito Federal, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima e Tocantins. Com tendência de alta, apenas o Estado da Paraíba. Com tendência de estabilidade são cinco; Paraná, MInas Gerais, Amazonas, Amapá e Pará. Com tendências de queda são 15: Espirito Santo, Santa Catarina, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Maranhão, São Paulo, Piauí, Mato Grosso do Sul, Alagoas, Sergipe, Goiás, Bahia, Rondônia, Pernambuco e Ceará.

A redução do número de óbitos pelo coronavírus deve principalmente ao avanço da vacinação pelo pais. Ao todo,  163.304.926 brasileiros se encontram com o esquema vacinal completo, número que representa 76,02% da população total do país. Com a dose de reforço, 84.493.436 pessoas, parecela que corresponde a 39,33% da população.

Foto destaque: representação coronavirus Reprodução/G1

Mais Lidas