Tech

Mercado de bem-estar é a nova aposta da realidade virtual

24 Abr 2023 - 12h00 | Atulizado em 24 Abr 2023 - 12h00
Mercado de bem-estar é a nova aposta da realidade virtual

Para quem acha que metaverso só oferece games e música, precisa conhecer o novo mercado que tem movimentado a realidade virtual. A novidade agora é oferecer serviços de bem-estar, que despontando como uma grande aposta no mundo do metaverso.

Segundo a consultoria McKinsey, o mercado de bem-estar movimenta cerca de US$ 1,5 trilhão globalmente e para gerar mais oportunidades deve aderir aos mundos da realidade virtual e e realidade aumentada.

Para a fundadora e CEO da TRIPP, plataforma de realidade estendida, Nanea Reeves, a tecnologia pode ser utilizada de várias formas, uma delas é para se conectar consigo mesmo e esse é um dos objetivos da plataforma criada por Nanea. “Você pode usar a tecnologia para se conectar consigo mesmo de muitas maneiras diferentes. No metaverso, você está impedido de se distrair com seu smartphone enquanto medita, por exemplo. Essa é uma primeira vantagem. Também pode se conectar com outras pessoas que estão vivenciando experiências semelhantes e praticar em grupo”, afirma.


 

Nanea Reeves é fundadora e CEO da TRIPP, plataforma de realidade estendida. (Reprodução/Twitter)


Nanea conta que pretendem criar uma comunidade virtual voltada para a prática de mindful e outras variações de meditação. Pensando nisso, a empresa já oferece aplicativo com conteúdo de áudio e vídeo para meditações guiadas. “A próxima etapa do nosso negócio será criar espaços físicos onde o usuário pode se conectar com a comunidade via experiências de realidade aumentada. O recurso vai utilizar a tecnologia da Niantic, base de jogos como o Pokémon Go. Já no nosso aplicativo, pretendemos trazer extensões que também adicionam recursos de realidade aumentada”, disse Nanea.

Esses serviços foram lançados em 2019, mas só agora está ganhando visibilidade. Ainda precisa passar por algumas atualizações, como por exemplo, ainda não é oferecido em outra língua além do inglês. A fundadora da plataforma conta que a maioria dos clientes ainda são dos Estados Unidos, mas segundo ela a TRIPP já auxiliou cerca de 7 milhões de sessões.

Como o negócio está apenas começando, a startup está investindo no crescimento do serviço, e para isso em fevereiro de 2022, a empresa adquiriu a plataforma de realidade virtual voltada para espiritualidade, a EvoIVR. “Com a fusão, conseguimos aproximar as pessoas por meio de qualquer ponto de acesso de realidade estendida, seja mobile, via Oculus, VIVE Flow, PlayStation VR, entre outras novas plataformas para as quais expandimos os serviços. Ganhamos maior flexibilidade”, comentou Nanea.

Nanea explica que usar a tecnologia para se desconectar pode parecer contraditório em um primeiro momento, mas afirma que muitos clientes utilizam os serviços da plataforma para se distanciar da avalanche de informações que a internet descarrega em suas mentes e até mesmo os meditadores experientes utilizam o aplicativo para colocar os pensamentos no lugar.

Para entregar um serviço de qualidade aos seus clientes, Nanea explica que quando o usuário se conecta à plataforma é perguntado como ele se sente. Isso ajuda na aproximação com o cliente. “Toda vez que alguém se conecta ao TRIPP, perguntamos para as pessoas como elas se sentem. Terça-feira é o pior dia, em termos de humor. Então, a partir disso, podemos oferecer uma sessão extra de relaxamento, por exemplo, nesse dia específico. Os dados são muito informativos no sentido de trazer insights importantes. Há uma série de oportunidades que ainda podemos desenvolver para trazer bem-estar e conexão por meio da tecnologia”, afirma a CEO.

Foto destaque: Mulher usando óculos de realidade virtual da TRIPP. Reprodução/Twitter