Notícias

Meta perde bilhões em valor de mercado

04 Fev 2022 - 18h43 | Atulizado em 04 Fev 2022 - 18h43
Meta perde bilhões em valor de mercado

A Meta, dona do Facebook, sofreu uma perda de US$ 237 bilhões em valor de mercado nesta quinta, após as ações da empresa despencarem 26%.

O valor perdido pela gigante da tecnologia equivale a um quarto de seu valor de mercado, igualando a quase todo o da Disney, segundo a consultoria especializada Economática.

O momento da queda ocorreu no dia seguinte à afirmação de Mark Zuckerberg, presidente-executivo, de que a rede social perdeu cerca de meio milhão de usuários ativos mensalmente, ao redor do mundo, no último trimestre de 2021. Foi a primeira queda com esses números na história da empresa, criada em 2004.


As maiores quedas das empresas americanas. (Foto: Reprodução/Elcio Horiuchi/Arte g1)


TikTok como uma sombra

A grande perda de usuários foi atribuída por Zuckerberg a uma competição mais apertada pela atenção das pessoas, citando o grande concorrente, TikTok, e seus vídeos curtos.

“As pessoas têm muitas escolhas sobre como querem gastar seu tempo e apps como o TikTok estão crescendo muito rapidamente. E é por isso que o nosso foco nos Reels [vídeos curtos no Instagram] é tão importante no longo prazo”, disse Mark, durante o anúncio dos resultados. A rede social chinesa vem ganhando cada vez mais relevância entre as redes sociais.


Mark Zuckerberg durante a apresentação do Meta, antigo Facebook Inc. (Foto: Reprodução/g1/Facebook)


O TikTok chegou a 1 bilhão de usuários em 2021 após 5 anos de existência. Pela primeira vez, também, que o aplicativo foi o mais baixado do mundo, o que superou em downloads o Facebook. A rede social de Mark teve, no último trimestre do ano passado, 1,929 bilhão de usuários no aplicativo. Nos três meses anteriores, esse número foi de 1,930 bilhão.

Zuckerberg ‘pobre’

O próprio chefe da Meta teve que lidar com as consequências do mau-humor dos investidores. Desde a última quinta, perdeu US$ 29 bilhões, e deixou o ranking dos 10 mais ricos do mundo.

A maior queda diária, até então, foi em julho de 2018, com o nome de Facebook, quando perdeu US$ 120 bilhões em valor de mercado.

Motivo, parecido: a companhia informou que a margem de lucro cairia devido aos custos para a melhora da privacidade e a redução do uso de seus maiores mercados de publicidade.

Situação da empresa

Mesmo com a queda no número de usuários ativos, o faturamento no último trimestre do ano aumentou, obtendo uma receita de US$ 33,67 bilhões, seguindo o que analistas de mercado esperavam.

Todavia, a projeção de Mark sobre o faturamento ficar abaixo das expectativas no primeiro trimestre de 2022 fez com que investidores ficassem em alerta.

Entre os motivos para isso é a alteração feita pela Apple visando a melhora na privacidade de usuários de iOS, significando, na avaliação do Facebook, prejuízo nos negócios de publicidade digital.

As mudanças feitas pela Apple dão aos usuários meios para controlar permissões de monitoramento de seu comportamento online, o que dificulta para os anunciantes conhecerem mais seu mercado e desenvolverem novos produtos.

Na época da mudança de nome, o Facebook, foi alvo de acusações de monopólio junto a um escândalo de documentos internos vazados, ficando conhecido como “Facebook Papers”.

 

 

Foto destaque: Reprodução/tecmundo/Shutterstock