Money

Metaverso após a baixa nas ações da Meta

06 Fev 2022 - 20h41 | Atulizado em 06 Fev 2022 - 20h41
Metaverso após a baixa nas ações da Meta

O novo sentido adotado pelas diretrizes da empresa Meta o ano passado que a transformaram numa referência em relação às mudanças que estão por advir na sociedade nos próximos anos, proporcionaram a ela novos investimentos, cujo o interesse pelas projeções futuras levam a crer que esta forma de pensar o mundo será o novo normal. Por isso, esses investidores atraídos pelo negócio do século após o anúncio da mudança do Facebook para Meta, fizeram as ações da empresa dispararem. 

No entanto, desde o anúncio outras empresas adotaram a mesma postura e começaram a manifestar seu interesse pela participação e inserção de seus produtos dentro do metaverso. Inclusive na área da saúde e até parques de diversão, como a Disney, propondo um ambiente no metaverso, surgiram para mostrar que outras partes estão também envolvidas em projetos que levem a esse objetivo. 


Imagem de pessoa usando óculos de realidade aumentada. (Foto/Imagem: Reprodução/Bernardmarr)


Logo, ter que dividir a fatia do mercado com outras competidoras foi um dos motivos. Os outros estão relacionados com a própria dificuldade da transição dos itens, espaços e novas formas de interação nesse novo universo. Portanto, a empresa ainda levará um tempo até conseguir desenvolver todo o complexo processo para a utilização em massa do metaverso a partir das plataformas da Meta. 

Para além dessas relações, é ainda necessário pensar e entender quais formas a serem utilizadas para publicidade direcionada, ainda com as normatizações da nova etapa da internet, web 3.0, que irá criar mecanismos que proíbem a coleta de dados sem a devida autorização. 

Outro problema é a quantidade de dados que passarão a ser fornecidos também, pois apesar de haver implementação de novas políticas, haverão pessoas que não se importarão de disponibilizar suas informações. Logo, a empresa precisará entender, a partir dessas informações, qual será o fim dado a elas. Nesse sentido, é preciso ainda muitos preparativos para que a caminhada definitivamente comece. 

 

Mark Zuckerberg em versão avatar durante demonstração dos seus planos para o metaverso. (Foto de Destaque: Reprodução/Meta/Uol)