Saúde e Bem Estar

Ministério da saúde amplia dose de reforço contra covid para adolescentes de 12 a 17 anos

28 Mai 2022 - 15h14 | Atulizado em 28 Mai 2022 - 15h14
Ministério da saúde amplia dose de reforço contra covid para adolescentes de 12 a 17 anos

O Ministério da Saúde divulgou em nota técnica, na última sexta-feira, (17) a ampliação da dose de reforço contra a covid em adolescentes de 12 a 17 anos. A recomendação da pasta é que sejam aplicadas, preferencialmente, a vacina da Pfizer, independente da dose aplicada anteriormente, mas na falta da Pfizer, poderá ser aplicada a Coronavac. Já os adolescentes imunocomprometidos, isto é, com baixa imunidade, devem usar somente a vacina da Pfizer.

No atual momento, enfatiza-se a importância da vacinação completa em toda a população e mudanças nas estratégias de vacinação para pessoas com 12 a 17 anos de idade devem ser consideradas. Uma vez que existe uma tendência a redução da efetividade das vacinas contra a covid-19 com o passar do tempo, deve-se utilizar os imunizantes disponíveis no país para garantir doses de reforço para todos os indivíduos elegíveis”, descreve a nota técnica.

De acordo com a pasta, a dose de reforço deve ser aplicada quatro meses após a aplicação da segunda dose. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), autoriza o uso desses dois imunizantes para o público dessa idade. Adolescentes gestantes e puérperas também devem seguir essa recomendação.

De acordo com pesquisas realizadas pela Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), a dose de reforço da vacina contra a covid é de extrema importância, porque aumenta a proteção do organismo contra os efeitos nocivos causados pelo vírus e suas variantes, Delta e Ômicron.


Ampliação da vacina contra covid para adolescente (Foto: Reprodução/Jornal NH)


A princípio, a dose de reforço era recomendada somente para a população acima dos 18 anos, porém devido essa redução da efetividade das vacinas com o passar do tempo, viu-se a necessidade de ampliar essa cobertura também para os adolescentes. O Ministério da Saúde reforça, ainda, que pessoas acima de 60 anos devem tomar a dose de reforço.

"Após a observação de segurança de países que recomendaram a dose de reforço das vacinas contra a Covid-19 para adolescentes de 12 a 17 anos e diante do cenário epidemiológico ainda incerto em relação aos casos de Covid-19 bem como evidências demonstrando redução da resposta protetora do esquema de 2 doses para a variante ômicrom nesta população, há de se considerar a recomendação da dose reforço para este grupo no país", diz o documento.

A vacinação aponta resultados eficazes no combate contra a doença. Houve uma queda geral da média de mortes no Brasil e também redução dos números de internações, especialmente entre os idosos.

Foto destaque: Aplicação da dose de reforço contra covid em adolescente. Reprodução/BBC News.