Cinema/TV

Morre aos 58 anos o cineasta Breno Silveira: Conheça sua trajetória

15 Mai 2022 - 11h05 | Atulizado em 15 Mai 2022 - 11h05
Morre aos 58 anos o cineasta Breno Silveira: Conheça sua trajetória

Breno Silveira faleceu na manhã deste sábado (14), aos 58 anos, após sofrer um infarto fulminante durante as gravações do que seria seu novo longa-metragem, “Dona Vitória”, na cidade de Limoeiro, em Pernambuco. O cineasta foi levado à Unidade Mista Naíde Ramos Maranhão, em Vicência, município localizado a cerca de 50 minutos do local, mas já chegou sem vida. O velório do diretor ocorre no fim da tarde deste domingo (15), no Rio de Janeiro, no Museu de Arte Moderna (MAM).

Trajetória

Nascido em Brasília no dia 5 de fevereiro de 1964, Breno formou-se na École Luis Lumiére em Paris e começou a carreira no cinema no início da década de 1980, como assistente de câmera. Em 1985 trabalhou em “A Hora da Estrela”, adaptação do clássico livro de Clarice Lispector para as telas, dirigida por Suzana Amaral.

Estreou como diretor de fotografia no filme “Carlota Joaquina” (1995) de Carla Camurati. No ano seguinte, fez a fotografia de “Tempo Rei”, documentário sobre Gilberto Gil.

O cineasta também dirigiu videoclipes para os Paralamas do Sucesso, das faixas “Busca Vida” e “Ela Disse Adeus” (ambos vencedores de prêmios da MTV), além do documentário da banda, “Paralamas em Close Up” (1998).

Também foi diretor de fotografia em “Eu tu eles” (2000), de Andrucha Waddington, estrelado por Regina Casé, Stênio Garcia e Lima Duarte. O trabalho foi selecionado para participar da mostra “Um Certo Olhar”, do Festival de Cannes e lhe rendeu o prêmio de melhor fotografia no Grande Prêmio Cinema Brasil 2000.

Em 2001, dirigiu o documentário televisivo “Mar Sem Fim”, sobre o navegador Amyr Klink.


Silveira em seu ‘set’. (Foto: Divulgação/Conspiração Filmes)


Sua ligação com a música lhe trouxe também seu maior sucesso. “Dois Filhos de Francisco” (2005), sua primeira direção de longa-metragem, foi premiado no Festival de Havana e teve a melhor bilheteria do ano de 2005, com mais de 5 milhões de espectadores, marcando a retomada do cinema nacional e o levando à tona como diretor cultuado.

Ainda no caminho da música, em 2012, lançava o filme “Gonzaga: De Pai para Filho”, sobre a relação de dois gênios da música brasileira, que "por acaso" eram pai e filho: Luiz Gonzaga e Gonzaguinha.

Em sua filmografia, o cineasta ainda filmou os longas “Era Uma Vez” (2008), Á Beira do Caminho (2012) e “Entre Irmãs” (2017).

O último trabalho finalizado pelo diretor foi “Dom”, seriado original do streaming Amazon Prime Video. A segunda temporada foi finalizada e deve estrear ainda este ano.

“Dona Vitória”, seria estrelado por Fernanda Montenegro.

 

Foto Destaque: Silveira no ‘set’ de "Dois Filhos de Francisco". Divulgação/Conspiração Filmes.