Notícias

Mulher que acusou Felipe Prior de estupro teve vagina lacerada, segundo laudo médico

17 Jul 2023 - 09h45 | Atulizado em 17 Jul 2023 - 09h45
Mulher que acusou Felipe Prior de estupro teve vagina lacerada, segundo laudo médico

Em entrevista exclusiva concedida ao programa "Fantástico", que foi ao ar neste domingo (16), a mulher que denunciou Felipe Prior por estupro relatou detalhes do crime. O ex-participante do "Big Brother Brasil 20", foi condenado a seis anos de prisão, mas tem o direito de recorrer em liberdade.

A vítima, atualmente com 31 anos e arquiteta, tinha 22 anos na época do incidente e estudava arquitetura em uma universidade particular em São Paulo. Ela revelou que conheceu Prior por meio de uma colega de sala, que sugeriu um esquema de caronas pagas para estudantes que moravam na mesma região.

O estupro ocorreu em 8 de agosto de 2014, depois de uma festa da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. Segundo o relato da mulher, Prior parou o carro no meio da rua durante o trajeto para casa, desafivelou o cinto de segurança e a agrediu sexualmente. Ela resistiu, mas ele se tornou mais agressivo, causando uma lesão dolorosa e sangramento.

Após o estupro, a vítima recusou a oferta de Prior de levá-la ao hospital e pediu para ser levada para casa. Lá, ela tentou estancar o sangramento sozinha no chuveiro, mas sua pressão estava baixa. Sua mãe foi acordada e a levou para o hospital, onde um exame médico confirmou a lesão consistente com a introdução de um objeto na vagina.



No dia seguinte ao crime, Prior entrou em contato com ela para perguntar como estava. Ela compartilhou que estava machucada e pediu para ele não contar a ninguém. Por medo de ser marcada por essa situação, ela manteve o ocorrido em segredo por muitos anos.

No entanto, anos depois, a vítima decidiu falar sobre o assunto para ajudar outras mulheres vítimas de abuso. Ela expressou seu desejo de acabar com esse tipo de violência e ajudar outras mulheres a encontrarem coragem para se posicionar.

A defesa de Prior reiterou sua inocência em nota e anunciou que irá recorrer da sentença. O arquiteto usou suas redes sociais para proclamar sua inocência e limitou os comentários em suas postagens.

 

Foto destaque: Felipe Prior. Reprodução/TV Globo