Money

Musk promete revogar banimentos do Twitter e Donald Trump se beneficiaria com a medida

11 Mai 2022 - 18h57 | Atulizado em 11 Mai 2022 - 18h57
Musk promete revogar banimentos do Twitter e Donald Trump se beneficiaria com a medida

 

Mais uma polêmica envolvendo Elon Musk e a plataforma Twitter sobre as politicas e a regras que gerenciam a rede social, entre elas a “conduta de propagação de ódio”, e deve revogar o impedimento que proíbe o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de utilizar a plataforma social.

Em conferencia, o sul africano disse que Jack Dorsey, co-fundador do Twitter, e ele tem o mesmo pensamento acreditando que banir os usuários em definitivo é uma medida excessiva e só utilizada em casos raríssimos e nos das contas com operação de bots ou disseminem spam. O dono da SpaceX possui um acordo para a obtenção da mídia social.

Trump teve suspensão decretada no Twitter depois que o Capitólio dos Estados Unidos foi invadido no dia 6 de janeiro. A rede social citou “o risco de incitar violência” quando tomou a decisão de banir o empresário definitivamente do hall de usuários. Depois do episódio Donald Trump declarou à Fox News que jamais regressaria ao Twitter, nem mesmo se Elon Musk lhe desse sua conta de presente, após comprar rede social.

Desde então o ex-presidente começou a proferir para todos que quisessem ouvir e usar com ele, que só utilizaria para se comunicar o seu próprio aplicativo, batizado de “Truth Social”. A plataforma de mídia social foi criada pelo Trump Média & Technology Group e o site foi lançado na rede mundial de computadores no dia 21 de fevereiro de 2022.

A iniciativa aconteceu depois que ele foi banido não só apenas do Twitter, mas também do Facebook. A plataforma foi programada para rodar em beta e foi limitado para IOS, na App Store. A rede social se assemelha ao Twitter e já pode ser encontrada na loja de aplicativos da Apple. No Truth Social os usuários vão postar “verdades” e não tuítar.

Foto destaque: Reprodução/YahooSports