Money

Nasa tem plano de investir 180 milhões em uma nova missão lunar

23 Jun 2022 - 17h06 | Atulizado em 23 Jun 2022 - 17h06
Nasa tem plano de investir 180 milhões em uma nova missão lunar

A National Aeronautics and Space Administration(Nasa) — em português Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço — aprovou uma missão para explorar um ligo lugar da Lua nunca antes visitado, em uma tentativa de buscar explicações sobre um mistério geológico e ajudar futuros colonos lunares. A missão robótica Lunar Villar Imaging and Spectroscopy (Lunar-VISE) custará RS 181 milhões e tem seu lançamento programado 2026 para aprender a composição química dos Gruithuisen Domes, duas curiosas características vulcânicas que aparentam ser feitas de rocha endurecida de magma resfriado , da mesma forma que o Monte ST. Helens no estado de Washington.

Contudo, formações como as cúpulas de Gruithuisen no nosso planeta necessitam de placas tectônicas e oceanos, nenhuma das quais a Lua possui. Eles nasceram e evoluíram, acredita-se que as cúpulas, aparentam ser quentes, podem ser uma fonte de calor para a expedição na Lua. A superfície lunar ao redor dos Gruithuisen é algo nunca presenciado antes pela Nada. As cúpulas dos Domes estão na borda ocidental da bacia dos Mares Imbrium, no noroeste da Lua, como a vemos da Terra, que se parece com isso.

Existe potencialmente um tesouro de conhecimento esperando para ser descoberto, o que não apenas nos ajudará a informar futuras explorações robóticas e humanas da Lua, mas também pode nos ajudar a entender melhor a história de nosso próprio planeta, bem como de outros planetas no planeta sistema solar”, comentou o principal investigador da Lunar-Vise, Donaldson Hana, na Universidade da Flórida Central.


Foto do foguete da Nasa e da Lua (Reprodução/Instagram) 


A missão foi uma das duas a serem feitas por meio do programa PRISM (Payloads and Research Investigations on The Surface of The Moon) da Nasa. Faz parte do plano da NASA usar mais empresas comerciais para levar cargas necessárias à Lua antes de seu programa Artemis de missões tripuladas com previsão para colocar dois astronautas na Lua em 2024.

A outra missão que irá para a Lua será o LEIA (Lunar Explorer Instrument for Space Biology Aplicatiosns), que é um pequeno aparelho baseado em CubeSat que fornecerá uma levedura à superfície lunar e então estudará sua resposta à radiação e gravidade lunar. Isso auxiliará os cientistas a calcular como os humanos na Lua a longo prazo podem ter seu DNA danificado pela gravidade parcial e pela radiação do espaço interior.

 

Foto de Destaque: base da Nasa (Reprodução/Epoch Times)