Cinema/TV

Netflix expande cobrança de taxas para mais países da América Latina

20 Jul 2022 - 11h30 | Atulizado em 20 Jul 2022 - 11h30
Netflix expande cobrança de taxas para mais países da América Latina

A Netflix anunciou nesta segunda-feira (18) que irá cobrar uma taxa extra para todos os usuários que utilizarem uma conta do serviço em mais de um dispositivo em residências diferentes. Pelo menos por enquanto, o Brasil ficou fora do ‘teste’, que será aplicado na Argentina, El Salvador, Guatemala, Honduras, e República Dominicana. Em março deste ano, a empresa já havia lançado a taxa por compartilhamento de contas no Chile, na Costa Rica e no Peru.

O novo padrão de cobranças terá início em agosto, e o valor será cobrado caso seja verificado que o login e a senha do usuário tenham sido utilizados durante mais de duas semanas em localizações distintas. Caso o assinante possua um dispositivo móvel, como celular, tablet ou laptop, a companhia não fará a cobrança. A Netflix também garantiu que o uso do streaming em caso de viagens também não será afetado. O valor da taxa vai variar entre US$ 1,70 e US$ 2,99.


Netflix cobrará taxa para diversos países da América Latina, por enquanto, Brasil não está incluído. (Foto: Divulgação/Netflix)


Em nota oficial, a empresa se pronunciou acerca da cobrança da taxa. "O compartilhamento generalizado de contas entre as famílias, prejudica nosso potencial de longo prazo para investir em melhorias para nosso serviço. Afirmando também que está explorando com cuidado diferentes maneiras para cobrar um pouco mais de pessoas que desejam compartilhar suas contas".

O anúncio vem em meio à maior perda de assinantes da companhia na história: foram cerca de 200 mil contas fechadas no primeiro trimestre de 2022 e um milhão no segundo trimestre, motivo que fez com que as ações da empresa caíssem mais de 65%. No entanto, a perda de assinantes foi menor que o esperado pela companhia, que projetava perder um total de 2 milhões de assinantes apenas no segundo trimestre.

Segundo a Netflix, mais de 100 milhões de pessoas utilizam contas de outros usuários e este é o principal fator para a perda de assinantes.

Foto Destaque: Netflix tem a maior perda de assinantes de sua história. Divulgação/Netflix