Saúde e Bem Estar

Nova Zelândia quer juntar vacinação com fast-food

25 Set 2021 - 11h11 | Atulizado em 25 Set 2021 - 11h11
Nova Zelândia quer juntar vacinação com fast-food

Vai um vacina de acompanhamento? Os cidadãos da Nova Zelândia que comprarem alimentos em estabelecimentos de fast-food vão poder ser abordados com a pergunta se eles gostariam de acompanhar seus lanches com uma vacina.

A nova Zelândia, país na Oceania, tem como objetivo imunizar ao menos 90% de seus cidadãos contra a Covid-19( atualmente, o país tem 38% de sua população elegível completamente imunizada, e cerca de 72% das pessoas estão vacinadas com a 1ª dose) e o governo da Nova Zelândia está agora em acordo com a grande empresa do fast-food, a KFC para conseguir com essa parceira atingir esta meta de vacinação.


Vacinação (Foto: Reprodução/ DoroT Schenk por Pixabay)


Jo Bartley, uma vereadora da cidade de Auckland, propôs a ideia à Restaurant Brands, que assume a KFC, a Pizza Hut e o Taco Bell na Nova Zelândia, na última segunda-feira(20).

Para a rádio neozelandesa RNZ, na manhã da última quinta-feira(23), o vice-primeiro-ministro Grant Robertson disse:”Queremos apenas chegar onde as pessoas estão”. A comida de fast-food é um desejo/amor nacional na Nova Zelândia. O país tem uma das maiores distribuições per capita de estabelecimentos do KFC e McDonald’s do mundo.

https://inmagazine.com.br/post/Fiocruz-e-escolhida-para-desenvolver-vacina-inovadora

https://inmagazine.com.br/post/Taxa-de-transmissao-aumenta-no-Brasil

https://inmagazine.com.br/post/Segundo-fabricante-vacina-da-Pfizer-e-segura-para-criancas-de-5-a-11-anos

 

No momento em que o lockdown, isolamento, foi suspenso na cidade de Auckland, na noite da última terça-feira (21), ocorreu tumulto e filas para os estabelecimentos de fast-food. Apenas no dia anterior, duas pessoas havia sido presas por tentar contrabandear um carro cheio de mercadorias da KFC, apesar dos rigorosos controles de fronteira.

Assegurar de que as pessoas aguardem cerca de 20 minutos depois da aplicação do imunizante pode ser desafiador se elas também estiverem esperando em um drive-thru, para obter um lanche, disse o vice-primeiro-ministro Robert, completando que este impasse logístico ainda necessitará de uns ajustes antes de botar a ideia em prática.

 

 Foto Destaque: Fast-food     /Reprodução: Pexels por Pixabay 

Mais Lidas