Saúde e Bem Estar

Nova cepa da variante ômicron pode ser a mais contagiosa, segundo especialistas

05 Abr 2022 - 17h55 | Atulizado em 05 Abr 2022 - 17h55
Nova cepa da variante ômicron pode ser a mais contagiosa, segundo especialistas

O Reino Unido divulgou o surgimento de uma cepa da variante ômicron, que pode ser potencialmente a mais contagiosa já vista desde o início da pandemia. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a variante detectada é híbrida de duas cepas da ômicron, BA.1 e BA.2. Ela foi batizada de XE.

A estimativa é que essa nova variante seja 10% mais transmissível que a cepa BA.2 da ômicron, mas até o momento ela só foi identificada no Reino Unido. Os dados iniciais não indicaram um aumento na gravidade da infecção, lembrando que estudos mostram que a variante ômicron é menos agressiva que as outras variantes anteriores do vírus que causa a Covid-19.


Nova variante da ômicron foi identificada no Reino Unido (Foto:Reprodução/Época)


A ômicron é mais infecciosa na parte superior do sistema respiratório, causando menos danos ao pulmão. Como a XE é uma combinação das cepas BA.1 e BA.2, e essa tem uma infecção menos danosa ao pulmão, a expectativa é de que a XE tenha um quadro similar as suas duas antecessoras, segundo especialistas.

Enquanto o Reino Unido divulga essa nova variante, a China enfrenta seu maior surto desde Wuhan. As autoridades chinesas divulgaram que foram identificadas duas novas subvariantes da ômicron que não correspondem a nenhuma sequência já existente.

A circulação contínua da Covid-19 mais de dois anos após o início da pandemia, muito pelas mutações do vírus causador da doença, ainda é um grande problema para um mundo pronto para conviver com o novo coronavírus. O número de infecções causadas pelas novas subvariantes e variantes é considerado baixo em relação ao tamanho dos surtos que ainda estão acontecendo ao redor do mundo.

Cientistas já encontraram surgimento de várias cepas que não conseguiram avançar e se tornar potencialmente perigosa. Para a OMS, até o momento, não há motivos para preocupação extra com a nova variante XE.

Foto destaque: Ômicron Reprodução/IstoÉ