Notícias

Novas imagens revelam tesoureiro do PT baleado sendo levado à ambulância

18 Jul 2022 - 11h41 | Atulizado em 18 Jul 2022 - 11h41
Novas imagens revelam tesoureiro do PT baleado sendo levado à ambulância

O guarda municipal e tesoureiro do PT Marcelo Arruda foi morto a tiros no momento em que comemorava o próprio aniversário por um desconhecido que invadiu a festa gritando palavras de apoio ao presidente Jair Bolsonaro.

O Fantástico foi até Foz do Iguaçu, no Paraná, e trouxe novas informações e depoimentos de testemunhas sobre o crime.

Nas imagens obtidas pelo Fantástico mostram Arruda sendo levado à ambulância após ser baleado. Após isso ele morreu no hospital.

Ele escolheu o bolo, a comida e o tema: o Partido dos Trabalhadores (PT) e o ex-presidente Lula. Além de ser tesoureiro do partido, Arruda já foi candidato a vice-prefeito de Foz do Iguaçu.
“Ficamos lá organizando as coisas. Nossos filhos estavam lá e foi todo mundo se ajudando. De repente, o salão estava cheio”, relembra a viúva, Pamela Suelen.



Novas imagens mostram tesoureiro do PT baleado sendo levado à ambulância. (Foto destaque: Reprodução/IstoÉ)


Pelo menos 50 pessoas compareceram no aniversário de Marcelo, entre crianças e adultos.
Chegando o fim do aniversário de Arruda, um carro branco chegou no estacionamento. Era Guaranho, que fez o primeiro ataque.

“Alguém chega gritando: ‘Bolsonaro aqui é mito, Lula ladrão’, não sei o quê... Achamos que era alguém que ainda estava chegando atrasado para a festa e falei: ‘Mais um amigo seu bolsonarista que chegou’”, conta um amigo de Marcelo Arruda, que não quis se identificar.

Marcelo saiu, pegou um punhado de terra e arremessou no carro. Guaranho reagiu apontando a arma em direção à vítima, mas arrancou com o carro e foi embora com a esposa, que estava no banco de trás.
“Eu ouvi que o cara começou a gritar: ‘vou matar todos vocês petistas’”, diz Leonardo Miranda de Arruda, filho de Marcelo.

Marcelo, então, foi até o carro e pegou sua arma, temendo que Guaranho voltasse de fato.
Em depoimento à polícia, a mulher dele disse que ele dirigiu até em casa apenas para deixá-la junto com o filho pequeno, de 2 meses, que também estava no carro. Guaranho reafirmou à mulher que iria voltar para a festa.

“Eu falei para ele assim: ‘Por favor, vida, pelo nosso filho, não volta’, disse a esposa de Guaranho em depoimento.
Guaranho voltou, sacou a arma e disparou contra Marcelo. Já ferido e no chão, Marcelo reagiu e atirou em Guaranho, que caiu no fundo do salão.

“Não era um ambiente só de petista, era um ambiente de aniversário. O tema meu irmão escolheu esse”, contou Luiz, irmão de Marcelo.

Com ordem de prisão preventiva, Jorge Guaranho está internado em estado grave.
A Polícia Civil do Paraná concluiu nesta sexta (15) que não houve motivação política no assassinato do tesoureiro do PT.

Jorge Guaranho foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e causar perigo comum, de acordo com a delegada Camila Cecconello.

 

(Foto destaque: Reprodução/Facebook)