Notícias

Pesquisa revela que jovens ainda têm acesso a drogas via Instagram

25 Mai 2022 - 16h15 | Atulizado em 25 Mai 2022 - 16h15
Pesquisa revela que jovens ainda têm acesso a drogas via Instagram

Mesmo que a plataforma do Instagram tenha se esforçado para conter hashtags relacionadas a drogas, que continuam sendo um elemento central da arquitetura do aplicativo, a pesquisa do grupo descobriu ser possível encontrar conteúdo de drogas simplesmente soltando a hashtag nas pesquisas. A pesquisa por “mdma à venda”, não “#mdma”, resultou em várias contas vendendo a droga, dizem os pesquisadores. Isso também funcionou ao procurar por “oxy” – gíria abreviada para o opióide oxycontin – e “Xanax”, o medicamento anti-ansiedade.

Mesmo com algumas mudanças de segurança também coma crescente pressão política, os jovens usuários do Instagram ainda conseguem ter acesso rápido a conteúdo relacionado a drogas, é o que revelou uma nova pesquisa. Algumas dessas contas, na verdade, parecem estar vendendo ativamente substâncias ilegais como MDMA, a droga também conhecida como ecstasy, de acordo com um relatório do Tech Transparency Project, um grupo liberal de vigilância tecnológica.


O uso de drogas entre os jovens tem crescido. Foto destaque: Reprodução/Divulgação


A pesquisa mais recente que saiu do Tech Transparency Project segue um estudo do grupo publicado em dezembro que detalhou como os adolescentes podem acessar o conteúdo de drogas e, em alguns casos, comprar drogas pelo Instagram. Oficialmente, é claro, a venda de drogas não é permitida no Instagram, e o chefe do Instagram, Adam Mosseri, reiterou a política durante o depoimento no Congresso em dezembro. Além de remover hashtags relacionadas a drogas, o Instagram adicionou avisos de alerta a pesquisas relacionadas a drogas que fornecem um link para sites independentes de abuso de substâncias.

Esses esforços não são suficientes, diz Katie Paul, diretora do Tech Transparency Project. “O Instagram se opõe a realmente fazer algo que resolva materialmente esses danos em sua plataforma porque eles não querem cortar seus resultados”, reduzindo a quantidade de tempo que um usuário pode gastar no Instagram com maiores controles de conteúdo, diz ela.

 

Foto destaque: Reprodução/Getty Imagem