Notícias

Ração que reduz emissão de metano de gados é aprovado pela UE

19 Nov 2021 - 22h12 | Atulizado em 19 Nov 2021 - 22h12
Ração que reduz emissão de metano de gados é aprovado pela UE

Um novo aditivo para rações promete reduzir a emissão de um dos gases de efeito estufa que os gados soltam através dos seus arrotos e gases, o metano. Este tipo de produto pode ser um dos primeiros a chegar ao mercado da União Europeia depois de ser aprovado na última sexta-feira (12) pela Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA).

 

https://inmagazine.ig.com.br/post/Paulo-Niemeyer-Filho-vence-votacao-pela-ABL

 

https://inmagazine.ig.com.br/post/Desmatamento-em-alta-acobertamento-de-informacoes-e-consequencias

 

https://inmagazine.ig.com.br/post/Desmatamento-na-Amazonia-atinge-novo-recorde-em-outubro

 

Segundo a EFSA, o auditivo Bovaer ou 3-nitrooxipropanol, foi produzido pela empresa global holandesa, especialista em químicas, Koninklijke DSM N.V (DSM) tem como objetivo de reduzir as emissões dos gases em que os gados leiteiros soltam na atmosfera diariamente. O auditivo promete reduzir essas emissões de 20% e 35% sem afetar a produção leiteira, de forma segura para os animais e os consumidores do leite produzido.

LEIA MAIS

 

A decisão da permissão foi da Comissão Europeia conjuntamente com os governantes da UE, que através dos pareceres científicos devido a sua segurança e risco, decidiram por aprovar. Além da União Europeia, o Brasil e o Chile também já aprovaram o novo aditivo, mas a DSM ainda não o comercializou. Até o momento, a empresa brasileira JBS, maior empresa de processamento de carne do mundo, já assinou um acordo de desenvolvimento com a DSM.


Retorno financeiro de gado leiteiro é de cerca de seis anos. Reprodção/Ernesto de Souza/Ed. Globo


Atualmente, a agricultura é a maior causadora do aumento de emissões de metano na atmosfera causadas pela atividade humana. Segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, só esse setor ocupa 40%, das emissões, logo atrás vindo a pecuária ocupando grande parte da taxa. Devido a última decisão coletiva em Glasgow em que mais de 100 países concordaram que até 2030, eles seriam obrigados a reduzir os gases que afetam o efeito estufa em até 30%, aumentando ainda mais a importância desse aditivo em nível global para a produção leiteira e de carne no mundo.

 

Foto Destaque: Criação de gado: metano, um potente gás de efeito estufa, é liberado na atmosfera pelo arroto e pelo estrume dos bichos. Reprodução/Exame/Agência/Getty Images