Saúde e Bem Estar

Rio de Janeiro vai ter unidade de pesquisa da Universidade de Oxford

06 Nov 2021 - 10h30 | Atulizado em 06 Nov 2021 - 10h30
Rio de Janeiro vai ter unidade de pesquisa da Universidade de Oxford

Rio de Janeiro vai ter uma unidade da Universidade de Oxford. Será a primeira nas Américas e será focado na elaboração de pesquisas, medicamentos, vacinas e capacitação de pessoal.

Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, na quarta-feira, fez uma visita à instituição e firmou uma parceria entre a universidade e o ministério. Até o próximo ano está prevista a instalação da nova unidade.

Sue Ann Clemens, é pesquisadora e professora brasileira, foi quem trouxe os estudos da vacina Oxford/Astrazeneza ao nosso país e diretora do primeiro mestrado na área de vacinologia do mundo pela Universidade de Siena e ficará encarregada pela direção da unidade.


Marcelo Queiroga, ministro da Saúde e a professora e pesquisadora, Sue Ann Clemens.( Foto: Cyrus Mower Photography/ Divulgação/ O Globo)


Clemens desde o mês de março buscava parceira para a elaboração e capacitação no Brasil e  afirma que “nos últimos tempos, foram formados centros de estudos e é triste perder isso quando a pandemia acabar. Queremos botar o Brasil na rota internacional de pesquisas.”

A pesquisadora foi responsável pela instrução de 22 centros na América Latina, neste tempo, e tem o objetivo de ter o nosso país como sede de centros de pesquisas. Todavia, para a Clemens, é necessário o investimento na educação para que haja um preparo melhor dos brasileiros que assim possam “povoarem esses centros” na medida que cresce o desenvolvimento de pesquisas. No decorrer da pandemia da Covid-19 foi necessário “treinar pessoal em cima da hora”.

https://inmagazine.ig.com.br/post/Brasil-registra-164-mortes-por-Covid-19

https://inmagazine.ig.com.br/post/OMS-aprova-vacina-Covaxin-para-uso-emergencial

https://inmagazine.ig.com.br/post/Italia-tem-retrocesso-no-combate-ao-Coronavirus-depois-de-meses-e-pandemia-mostra-sua-forca

Na unidade na área acadêmica serão concedidos cursos de especialização, doutorado e mestrados voltados em elaboração de pesquisas, vacinologia e de doenças infecciosas. Os cientistas vão ser financiados, por ao menos, 3 anos.

Esta unidade que será instalada no Brasil terá o suporte do governo britânico e auxílio científico da Universidade de Siena, localizado na Itália, do Institute for Global Health e do Internacional Vaccines Institute.

A pesquisadora e professora Sue Ann Clemens, é chefe do comitê científico na Fundação Bill e Melinda Gates e continua na procura por um auxílio privado. Ainda neste ano deve ser feito a assinado o contrato final.

Foto destaque: Daryus Chandra/Pixabay

Mais Lidas