Notícias

Rússia continua com bombardeios, enquanto presidente da Ucrânia pede paz

19 Mar 2022 - 14h30 | Atulizado em 19 Mar 2022 - 14h30
Rússia continua com bombardeios, enquanto presidente da Ucrânia pede paz

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, em um vídeo gravado no fim da noite de ontem, acusou o presidente da Rússia, Vladimir Putin, de promover, propositalmente, uma ‘’Catástrofe humanitária’’ na Ucrânia, disse que a Rússia irá perder a longo prazo e pediu que comecem as negociações de paz com Moscou.

Quero que todos me ouçam agora, especialmente em Moscou. Chegou a hora de uma reunião. Chegou a hora de restaurar a integridade territorial e a justiça para a Ucrânia. Do contrário, as perdas russas serão tão grandes que vocês levarão gerações para se recuperar”, disse.

Em direção oposta, Putin fez um discurso espetaculoso e pró-guerra em um estádio em Moscou na tarde de ontem. Com apresentação musical e 95 mil pessoas nas arquibancadas, ele celebrou a atuação do Exército russo no país vizinho e disse estar "combatendo o nazismo".


Soldados fazem buscas nos escombros do quartel militar atingido pelos bombardeios russos em Mykolaiv, sul da Ucrânia, em 19 de março de 2022. (Fonte: AFP - BULENT KILIC)


Isso ocorreu pela intensificação dos ataques russos neste sábado (19), que anunciaram, pela primeira vez, o uso de um míssil hipersônico ‘’Kinjal’’. A informação foi assegurada pelo Ministério da Defesa russo, logo após ele ser usado para destruir um depósito subterrâneo de armas no oeste da Ucrânia, uma primeira operação como está de acordo com a agência estatal Ria Novosti.

Esse tipo de míssil, muito manobrável, desafia todos os sistemas de defesa antiaérea. A Rússia nunca havia relatado anteriormente o uso deste míssil balístico nos dois conflitos em que é beligerante - Ucrânia e Síria. A arma foi utilizada muitas vezes em exercícios desde o primeiro teste bem-sucedido em 2018.

Este é o 24º dia de conflito entre os países. Há relatos de bombardeios russos no noroeste do país, próximo à fronteira com a Polônia, e no sudeste, com o bloqueio do acesso ao mar de Azov, à beira do Mar Negro.

As Forças Armadas ucranianas, por sua vez, dizem, por meio de comunicados em aplicativos de mensagens, estar conseguindo conter o Exército russo em outros pontos. Só nesta manhã, a defesa do país derrubou 12 alvos aéreos russos, incluindo dois aviões e três helicópteros.

Diversas rodadas de negociações entre Kiev e Moscou ocorreram pessoalmente e por videoconferência desde a invasão russa da Ucrânia iniciada em 24 de fevereiro. A quarta rodada foi aberta na segunda-feira (14), ao nível das delegações que negociam remotamente.

 

Foto Destaque: O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy (fonte: AFP/UKRAINE PRESIDENCY)