Moda

Saiba quais são as 8 marcas estreantes nos desfiles da SPFW

13 Nov 2021 - 21h43 | Atulizado em 13 Nov 2021 - 21h43
Saiba quais são as 8 marcas estreantes nos desfiles da SPFW

A São Paulo Fashion Week Chega na sua 52° edição e terá apresentações presenciais e remotas, entre os dias 16 a 20 de novembro no Pavilhão das Culturas no Parque Ibirapuera. Novamente, a moda voltará com a sua potência e resiliência após um momento de muitas dificuldades que servirão futuramente como aprendizado.

A temporada que está por vir conta com a presença de oito marcas que irão fazer a sua estreia no evento: Baska, Bispo dos Anjos, Bold Strap, Corcel, Depedro, Fauve, Mnisis e Von Trapp.

https://inmagazine.ig.com.br/post/O-lixao-toxico-da-moda-descartavel-no-Deserto-do-Atacama-no-Chile

https://inmagazine.ig.com.br/post/Melissa-lanca-colecao-de-beachwear-com-biquini-biodegradavel 

https://inmagazine.ig.com.br/post/Calca-colorida-se-inspire-e-aposte-na-peca 

As marcas não são apenas roupas, se tratam de pessoas que foram em busca de seus sonhos e hoje se veem realizando tudo aquilo que idealizaram e sonharam.  Confira abaixo um pouco sobre cada uma das estreantes.

BASKA

A marca masculina foi criada em 2016 e teve no começo o espaço em uma rua, como uma pequena loja de galeria. Dos últimos anos pra cá, veio crescendo e abriu dois espaços em shoppings de capitais como Salvador e Maceió. Um dos sócios da grife é o digital influencer Carlinhos Maia e as peças que fazem mais sucesso são as camisas de linho e as bermudas estampadas.


 

(Foto: Reprodução/Divulgação)


Um dos planos da marca é introduzir mais o público feminino nas peças de roupa, pois grande parte dos milhões de seguidores de Carlinhos são mulheres. Para a coleção apresentada no SPFW, a grife aposta nos tons suaves e paisagens do Nordeste.

BISPO DOS ANJOS

Fundador da marca, Hudson Bispo dos Anjos cursou moda na faculdade de Santa Marcelina e desde o início do curso pretendia desenvolver sua coleção de roupas que fossem agênero, ou, para todas as pessoas usarem.


 

(Foto: Reprodução/Instagram)


Em 2016 através da plataforma Instagram, lançou sua grife, e ainda não era tão comum aqui no Brasil as marcas adotarem o estilo agênero em suas peças. A grife conta com roupas com laçarotes, rendas, babados e mangas bufantes e em 2019 sua versatilidade chamou atenção e foi convidada para o line up da Casa dos Criadores, onde teve a participação por duas temporadas.

BOLD STRAP

Fundada em 2018 por Peu Andrade, que é estilista, a marca oferece hoje produtos que incluem roupas, bijuterias e outros acessórios. A inspiração veio através das festas gays que têm como pauta a liberdade sexual e de ser quem é. No período de pandemia, o criador da marca, Peu, se posicionou sobre a inclusão de pessoas de todos os gêneros e sexualidades, determinando que a grife seria não mais gay, e sim queer.


 

(Foto: Reproduão/Instagram)


Com o discurso de libertação, a marca se inspira no surrealismo fetichista para as suas peças, e procura ocupar cada vez mais espaços que lhes foi negado durante tanto tempo.

CORCEL

A marca foi fundada em 2017 por Marília Estevam e ficou conhecida por ter botas e acessórios inspirados no universo da música, especificamente rock e country. Nas peças há fortes referências em cordas, laços, canivetes e cavalos que estão inclusos em jaquetas, calças, bermudas e coletes.


 

(Foto: Reprodução/Divulgação)


A grife se entitula como neutra em relação a gênero, e qualquer pessoa pode usufruir das peças. Desde 2020 a Corcel tem uma loja no bairro de alto padrão em São Paulo e agora irá começar a exportar os produtos para os EUA e Europa, e terá uma linha de sapatos em parceria com a marca italiana Vibram.

DEPEDRO

Fundada em 2017 por Marcus Figueirêdo, a marca busca resgatar técnicas manuais com muita tradição, o que estava desaparecendo. Muitos dos trabalhos artesanais que o criador da marca conhece foram através de sua avó, com a tecelagem e costura. Então ele resolveu criar algumas peças que incorporassem isso antes que sumissem.


 

(Foto: Reprodução/Instagram)


Além disso, a grife tem o propósito de capacitar costureiras e ter um impacto social com uma rede de mais de 200 artesãs pelas cidades de sertão nordestino. Durante a pandemia, foi aberta a exportação das peças para países como Portugal, Austrália e EUA.

FAUVE

Clara Pasqualini fundou a marca em 2019 como trabalho de conclusão do curso de design de moda da UCS. A marca tem um estilo mais sofisticada e elaborada, que busca se inserir no high-end, através de peças em tricô e alfaiataria.


 

(Foto: Reprodução/Instagram)


Com a pandemia, a fundadora da marca buscou trabalhar em um resgate de ancestralidade e cultura, buscando inspirações nas suas raízes italianas, tendo coleção a barris de vinhos, por exemplo. A cartela de tons terrosos também é outra marca registrada da Fauve.

MNISIS

Fundada por Marina Costa no final de 2019, a marca se auto caracteriza como ironicamente lúdica e contém roupas e acessórios. As inspirações vêm da ressignificação de lembranças, através de peças com babados e recortes inusitados e uma cartela de cores que contém muito rosa, laranja e tons pastéis.


 

(Foto: Reprodução/Instagram)


A grife se iniciou apenas com acessórios e em 2020 lançou sua primeira coleção de roupas e os processos manuais são seus maiores motivos de orgulho e dedicação.

VON TRAPP

Marcelo Von Trapp lançou sua marca em 2016 e é um dos maiores talentos que a moda nacional vem revelado nos últimos tempos. Seu cuidado não é somente nas peças em si, como também em todo o processo de produção delas. Sua estreia conta com um momento de renovação da marca, apresentando um realismo fantástico, mitológico e espiritual.


 

(Foto: Reprodução/Instagram)


Um dos seus planos para o futuro é expandir as categorias  de produtos que a marca têm a oferecer, através de acessórios como óculos em parceria com a marca carioca Zerezes.

Foto do destaque: Reprodução/ Instagram