Saúde e Bem Estar

Santa Catarina fica em alerta após morte de macaco por febre amarela

11 Dez 2021 - 07h52 | Atulizado em 11 Dez 2021 - 07h52
Santa Catarina fica em alerta após morte de macaco por febre amarela

 Em Santa Catarina foi confirmado nesta sexta-feira (10) a morte de um macaco devido ao vírus da febre amarela. De acordo com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica, o caso ocorreu na cidade de Pedras Grandes, no Sul do Estado. Foi coletada uma  amostra  da espécie bugio no dia 24 de novembro para a realização de exames. Cidade possui baixa cobertura vacinal recomendada pelo Ministério da Saúde.

Foram mais de 625 casos notificados de epizootias  no ano, e desses casos 137 foram confirmadas com febre amarela. Em humanos foram registrados oito casos com três óbitos, e em nenhum desses casos humanos haviam registros de vacina contra a doença. Dezembro a maio são os meses que ocorrem maior incidência da doença, há um maior número de transmissão da febre amarela, afirma o diretor da Dive/SC, João Augusto Brancher Fuck: “E mais uma vez acende um alerta para toda população e para o poder público. É momento de reforçar as medidas de vigilância e prevenção da doença”


Doses da vacina para febre amarela.(Foto:Reprodução/Geovana Alburquerque/Agência Saude/DF)


A febre amarela origina de mosquitos transmissores da doença (Haemagogus e Sabethes), os macacos se tornam sua primeira vítima porque vivem em mesmo ambiente.A médica veterinária da Dive/SC, doutora Aysla Matsumoto, alerta que a vacina :“Ao encontrar um macaco morto ou doente é importante notificar o serviço de saúde para que as equipes de vigilância se desloquem até o local para coletar uma amostra do animal e realizar o diagnostico’’

Doses da vacina estão disponíveis no posto de saúde, e todos os  moradores do estado devem se vacinar contra a doença  a partir dos nove meses de idade.

O Ministério da Saúde recomenda uma cobertura vacinal de 95% e o estado de Santa Catarina estava até o mês de novembro deste ano com apenas 79,57%, possibilitando o maior número de casos. O gerente de imunização da Dive/SC ressalta a importância da vacinação:  “É muito importante que as pessoas que ainda não receberam a vacina, procurem uma unidade de saúde. A cobertura vacinal ainda está abaixo do recomendado, e com a circulação do vírus, pessoas não protegidas podem contrair a doença’’

https://inmagazine.ig.com.br/post/Felipe-Neto-anuncia-doacao-de-R-100-mil-para-cidades-prejudicadas-pelo-chuva-na-Bahia

https://inmagazine.ig.com.br/post/Advogada-vai-ao-tribunal-para-conseguir-vacinar-a-filha 

https://inmagazine.ig.com.br/post/Saiba-porque-emagrecimento-nao-e-sinonimo-de-saude

Os indícios de febre amarela aparecem com início abrupto de febre,icterícia (pele amarelada), calafrios, dores nas costas e no corpo, dor de cabeça intensa, náuseas e vômitos, dor abdominal e fraqueza e cansaço. Em casos graves podem causar hemorragia interna e insuficiência hepática.

Foto Destaque: Mosquito transmissor de febre amarela. Reprodução/Josué Damacena/Fiocruz