Saúde e Bem Estar

São Paulo inicia vacinação da 4ª dose contra a COVID-19 em pessoas de 50 anos

06 Jun 2022 - 14h54 | Atulizado em 06 Jun 2022 - 14h54
São Paulo inicia vacinação da 4ª dose contra a COVID-19 em pessoas de 50 anos

Neste sábado (4), o Ministério da Saúde declarou autorizada a ampliação da vacinação contra a COVID-19 no estado de São Paulo. 

A partir de hoje, segunda-feira (6), a Secretaria Estadual da Saúde retratou que começará a distribuir doses para os municípios paulistas e espera a chegada de mais vacinas do Ministério da Saúde. Serão aplicadas a segunda dose de reforço (ou quarta dose) para pessoas de 50 anos e também profissionais de saúde a partir de 18 anos. 


(Foto: Reprodução/Instagram)


Para conseguir tomar a segunda dose de reforço do imunizante, ou a quarta dose, é preciso ter uma distância de tempo entre as aplicações. A dose anterior precisa ter sido tomada há pelo menos quatro meses. Para segurança e certificação antes de aplicar novamente. 

É preciso atenção e não deixar de se vacinar. O vírus não foi erradicado e especialistas se preocupam com uma nova onda. O Brasil registrou neste domingo (5), 4.591 casos de COVID-19, totalizando 31.153.765 infectados desde o início da pandemia. A média móvel está em alta e foi de 29.342 diagnósticos positivos. O número está 103% maior que o cálculo de 15 dias atrás, o que demonstra essa tendência de alta pelo décimo dia seguido. 


(Foto: Reprodução/Exame)


A vacinação continua seguindo um planejamento de acordo com idade, profissionais de saúde e comorbidades. Além de respeitar o tempo entre uma dose e outra. Antes do comunicado feito pelo Ministério da Saúde, as doses de imunização estavam sendo aplicadas apenas em pessoas a partir de 60 anos e em pessoas passando por tratamento conta o câncer, transplantados e pacientes que fazem hemodiálise e soropositivos para HIV a partir de 18 anos. 

Para ser vacinado, basta levar um documento de identidade e o comprovante de vacinação, físico ou digital. Para os profissionais da saúde, é necessário levar crachá, holerite ou declaração da empresa onde trabalha. Também é permitido diplomas ou carteira do conselho de classe.

 

 Foto Destaque: Reprodução/Danilo Carvalho