Notícias

Senacon dá 72 horas para Apple explicar sobre riscos dos fones de ouvidos via bluetooth oferecidos pela empresa

31 Mai 2022 - 15h28 | Atulizado em 31 Mai 2022 - 15h28
Senacon dá 72 horas para Apple explicar sobre riscos dos fones de ouvidos via bluetooth oferecidos pela empresa

A Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor (Senacon) notificou nesta segunda-feira (31) a Apple dar explicações sobre a segurança dos fones de ouvido da marca que funcionam por meio de bluetooth em até 72 horas. 

A decisão foi tomada após a informação de que uma criança de 12 anos nos Estados Unidossofreu danos auditivos após o uso de fones de ouvido da Apple. 

A Apple foi processada pela família de uma criança do estado do Texas, nos Estados Unidos, que alega que um menino sofreu uma perda auditiva permanente por conta de uma falha nos AirPods fabricados pela empresa. 

No processo, os pais da criança Carlos Gordoa e Ariani Reyes declaram que os AirPods que foram dados de presente ao filho do casal tinham um defeito sério. O casal alega que os fones de ouvido reproduziam alertas em volume perigosamente alto constantes. Segundo eles, independente do volume definido pelo usuário, o áudio dos fones seguia muito mais alto que o recomendado. 


Foto/reprodução: Pocket-lint


Segundo a família da criança, o incidente aconteceu em maio de 2020, quando a criança estava assistindo conteúdos na plataforma de streaming Netflix em seu iPhone enquanto usava apenas um AirPod no ouvido direito. De acordo com uma série de reclamações online a Apple estava ciente desde 2019 que os AirPods emitiam alertas muito altos que não era correspondente ao da mídia que estava tocando no aparelho celular.  

“Estamos investigando possível defeito e consequente risco à saúde e segurança dos consumidores brasileiros. A intenção é que a empresa aja com transparência e colabore com as autoridades nacionais e internacionais para esclarecimento imediato do caso”, afirmou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres. 

Segundo a Senacon, a fabricante deverá justificar a venda do acessório e os riscos do equipamento, explicando regularidade, qualidade, segurança, transparência, informação e orientação aos consumidores quanto à fabricação e venda do produto.