Notícias

Sites derivados de mais de 15 veículos de imprensa passam a ser controlados pela Rússia

16 Mar 2022 - 14h00 | Atulizado em 16 Mar 2022 - 14h00
Sites derivados de mais de 15 veículos de imprensa passam a ser controlados pela Rússia

A agência reguladora do setor de telecomunicações na Rússia, chamada Roskomnadzor, é o orgão executivo russo responsável por bloquear no mínimo 15 veículos de imprensa, informou a AFP (sistema de capitalização individual), nesta quarta-feira (16), dentro de um contexto de contole exercido para as notícias que percorrem o conflito contra a Ucrânia.

Estavam indisponíveis hoje na Rússia veículos, como a página online investigativa do Bellingcat, de jornais locais russos e veículos em russo com base em Israel e Ucrânia. Esses sites estão na lista oficial de páginas bloqueadas pela Roskomnadzor.

Os sites que fazem parte da Rússia e saíram do ar também foram o canal independente Kavkazi Ouzel, que cobre o Cáucaso e um canal regional baseado nos Urais.

O acesso a dois canais russófonos baseados em Israel, onde há uma comunidade significativa que migrou da antiga União Soviética: 9 TV channel Israel e Vesty Israel, também foi suspenso.


Imagem mostra microfones representando a imprensa brasileira durante coletiva de imprensa. (Foto: Geraldo Magel/Agência Senado)


Twitter, Facebook e Instagaram bloqueadas

O controle russo sobre informações postadas na internet teve início desde o primeiro ato que decretou a guerra contra a Ucrânia, em 24 de fevereiro. As autoridades russas multiplicaram seus esforços contra o vazamento de notícias. 

As redes americanas, como Facebook, Twitter e Instagram foram bloqueadas, seguindo o exemplo de outras mídias russófonas que criticam o Kremlin. 

A decisão de bloquear o Instagram foi diferente do que as outras duas redes, já que a rede social é uma das mais populares entre os russos, alcançando 80 milhões de usuários, segundo disse o diretor Adam Mosseri.

Dados da consultoria eMarketer publicados pela agência France Presse apontam que os russos usam muito mais Instagram do que o Facebook.

Como também acontece no Brasil, o aplicativo é extremamente popular entre os russos, se tornando uma ferramenta de vendas online crucial para o empreendedorismo, tanto pequeno, como grande, atraindo artesãos e artistas em geral, que dependem de engajamento nesta plataforma para sobreviver financeiramente.

Foto em destaque: Putin impõe mais controle à imprensa, impedindo veículos de informarem sobre o conflito contra a Ucrânia. (Sergei Guneyev/Sputnik/AFP)

Mais Lidas