Esportes

Son não poderá atuar na Copa do Mundo com máscara por regra da FIFA

19 Nov 2022 - 10h50 | Atulizado em 19 Nov 2022 - 10h50
Son não poderá atuar na Copa do Mundo com máscara por regra da FIFA

O atacante do Tottenham e da seleção da Coreia do Sul, o Heung-Min Son, não poderá usar a máscara com o número 7 na Copa do Mundo. O jogador foi visto treinando com uma máscara de proteção, por conta da fratura na face, e esse equipamento é contra as regras da competição.

O principal jogador da Coreia do Sul, o atacante Son, ainda não é presença garantida na estreia do país no maior torneio de seleções do mundo. O jogador ainda sofre com a adaptação da máscara, e o problema que teve no rosto, a fratura. Sendo que ele não está medindo esforços para participar da Copa do Mundo.

Durante os treinos desta semana, o atleta foi visto com a máscara de proteção, e na própria máscara tinha o número 7. Normalmente é a camisa que Son gosta de usar, e essa informação na máscara é proibido pela competição. Nenhum jogador pode jogar com equipamento que tenha número, nome, emblema, ou até frases personalizadas.


Son treinando com a seleção usando a máscara (Reprodução/ung Yeon-je / AFP)


O jogador deu uma entrevista dizendo que esse não será problema para estrear na Copa do Mundo. O Son informou que levou diversas máscaras para testar, e se usar a máscara com a personalização, o número que tem é descartável. Não se tornando empecilho para a estreia no dia 24 de novembro.

O maior problema para Son, ainda é a adaptação com a máscara e também suportar a dor da fratura que teve na face. Ainda sem definição de qual máscara irá usar, ou se conseguirá jogar a Copa, o atacante sul coreano continua treinando junto com o time para a estreia.

A primeira partida da Coreia do Sul será contra o Uruguai, no dia 24 deste mês. Logo após terá o confronto contra a Gana, será no dia 29 de novembro e encerra sua participação na fase de grupos contra Portugal, no dia 2 de dezembro.


Foto destaque. Son usando a máscara de número 7. Reprodução/Jung Yeon-je / AFP