Tech

Startups brasileiras de tecnologia sofrem com a retração econômica

08 Jun 2022 - 21h07 | Atulizado em 08 Jun 2022 - 21h07
Startups brasileiras de tecnologia sofrem com a retração econômica

As startups unicórnios brasileiras, aquelas que são avaliadas em US$ 1 bilhão, estão sendo desafiadas nos dias atuais por conta da retração econômica,  no último mês de maio, em 40 rodadas, foram investidos R$1,4 bilhões . A alta de juros e a inflação global são um dos motivos dessa retração econômica. No mês de maio de 2021 foram investidos R$3,6 bilhões em 74 rodadas, de acordo com o relatório da inside venture capital, da Distrito, comparando os investimentos dos cinco primeiros meses do ano passado com os ccinco primeiros meses desse ano, teve uma diferença de 3 bilhões de dólares. 

De Acordo com Gustavo Gierun, CEO da Distrito: “As empresas de tecnologias listadas em bolsa sofreram correção de preço brutal nos últimos 60 dias, o que impactou diretamente os apetites dos investidores no mercado privado. Para os investidores o momento é de cuidado. Para os empreendedores, o momento é de ajustar a operação para não ser refém de novas captações”, disse Gustavo ao explicar o motivo das startups estarem sentindo os efeitos do cenário macroeconômico atual. 

Gierun também ressalta: “Não acontecerá uma ruptura do mercado e que depois de um ano de excelentes investimentos estamos vivendo um período de ajuste por prazo interdeminado decorrente das condições do mercado”. O CEO também enxerga esse momento como uma boa oportunidade para novos empreendedores.

“Historicamente, grandes empresas de tecnologia foram criadas em ciclos de aperto econômico. O crivo será maior, mas bons empreendedores ainda terão muitas oportunidades"


Foto: Fintech Dock. (Reprodução/ Labs News)


Após receber aporte de R$525 milhões, a empresa brasileira é tratada como um unicórnio após receber uma avaliação de mercado de 7 bilhões de reais, a Fintech Dock, foi a que mais recebeu captação no mês de maio, a empresa oferece o serviço de banking as a service e permite que brasileiros tenham contas nos Estados Unidos. A startup Nomad também foi outro destaque de maio, captou R$153 milhões. 

 

Foto destaque: Retração econômica. Reprodução/Istoé