Notícias

Tropas da Rússia incendeiam e tomam usina nuclear na Ucrânia

04 Mar 2022 - 11h00 | Atulizado em 04 Mar 2022 - 11h00
Tropas da Rússia incendeiam e tomam usina nuclear na Ucrânia

Tropas russas incendeiam e tomam a usina nuclear em Zaporizhia na Ucrânia na manhã desta sexta-feira (4), no horário ucraniano e noite de quinta-feira no horário de Brasília. Os ataques começaram em um prédio ao lado complexo fazendo soar o alarme de risco nuclear na usina, que é o maior da Europa e o quinta maior do mundo.

Apesar dos ataques, foi divulgado pela Agência Internacional de Energia Atômica de que não foi registrado aumento de radiação no local, ao contrário do que se havia especulado anteriormente. As chamas foram controladas e funcionários trabalham nos blocos para garantir o funcionamento de acordo com as exigências técnicas.

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, escreveu em sua conta no Twitter repudiando os ataques. “O exército russo está atirando de todos os lados contra a central nuclear de Zaporizhzhia, a maior usina nuclear da Europa. O fogo já começou. Se explodir, será 10 vezes maior que Chornobyl! Os russos devem cessar IMEDIATAMENTE o fogo, permitir os bombeiros, estabelecer uma zona de segurança!” disse o Kuleba. O acidente em Chernobyl é considerado até hoje o pior desastre nuclear da história.


https://twitter.com/DmytroKuleba/status/1499543775240196099?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1499543775240196099%7Ctwgr%5E%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fwww.cnnbrasil.com.br%2Finternacional%2Fguerra-na-ucrania-2022%2Fataque-usina-nuclear-ucrania%2F


No Instagram, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelenszy, publicou um vídeo que mostra o momento em que foi realizado o ataque à usina.


https://www.instagram.com/p/CaqbuW7IX2a/


A invasão da Rússia ao território da Ucrânia está na segunda semana de conflito e segundo a ONU já são mais de 220 mortos e 1 milhão de refugiados. Os territórios dominados são leste e sul da Ucrânia, com o principal alvo sendo a capital Kiev. Com extensão do conflito, a comunidade internacional intensificou as sanções econômicas contra a Rússia para tentar conter as ações. Com voto brasileiro, a Assembléia-Geral da ONU, aprovou a resolução que condena a invasão.

Em contrapartida o presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou na última quinta-feira que os alvos estabelecidos das operações estão sendo atingidos. “A operação militar especial está saindo estritamente de acordo com o planejado, exatamente de acordo com o cronograma” disse Putin em seu pronunciamento.  

 

Foto destaque: reprodução/ O Globo