Notícias

Ucrânia faz denuncia de violação dos direitos humanos contra a Rússia em meio à pressão territorial

29 Jun 2022 - 15h03 | Atulizado em 29 Jun 2022 - 15h03
Ucrânia faz denuncia de violação dos direitos humanos contra a Rússia em meio à pressão territorial

O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos (TEDH) anunciou que a Ucrânia entrou com uma acusação formal de múltiplas violações humanitárias contra a Rússia. Antes da denúncia, o TEDH informa que só havia recebido pedidos de Kiev para “medidas provisórias”, reservadas para situações de emergência.

“Em 23 de junho de 2022, o Tribunal Europeu de Direitos Humanos recebeu um pedido formalmente concluído neste caso”, que diz respeito “às alegações do governo ucraniano de violações em massa e flagrantes dos direitos humanos cometidos pela Federação da Rússia nas suas operações militares no território da Ucrânia, desde 24 de fevereiro de 2022″, anunciou o TEDH, braço judicial do Conselho da Europa.


Míssil russo atinge shopping da cidade Kremenchuk, na Ucrânia, nesta segunda-feira (27). O ataque deixou 18 mortos. (Reprodução/Twitter)


Rússia pressiona por rendição total

As forças armadas russa exigiu a rendição total da Ucrânia, nesta terça-feira (28), como a única maneira de acabar com o conflito, um dia depois de um bombardeio que matou 18 pessoas em um shopping center na região central da Ucrânia.

A rendição proposta pela Rússia é equivalente à submissão de Kiev a Moscou, ao abrir mão de sua soberania sobre parte do território ucraniano, no intuito de evitar mais mortes.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, pediu que a Rússia seja classificada por outras nações como um “estado patrocinador do terrorismo"

"Este foi um dos atos terroristas mais descarados da história europeia", declarou Zelensky.

Os líderes do G7, reunidos na Alemanha, afirmaram em comunicado que "ataques indiscriminados contra civis inocentes constituem um crime de guerra".

O conjunto de acontecimentos, desde que se deu ínico a guerra entre Rússia e Ucrânia, influenciou na denúnica da Ucrânia atráves do TEDH.

Moscou ainda é alinhada com o TEDH

Moscou continua vinculada às decisões do TEDH para todas as ações cometidas até setembro deste ano, mesmo a Rússia expulsa do Conselho da Europa por decreto em meados de março.

O procedimento iniciado por Kiev pode não ter grande efeito, pois Moscou passou a não aplicar mais as decisões do TEDH já em junho.

 

Foto em destaque: Mortes na Ucrânia continuam e o país contra ataca com denúncia de violação dos direitos humanos. (Ukrainian Presidential Press Service/ AFP e Sergei Guneyev)