Notícias

Ucrânia pede ajuda humanitária ao Brasil

28 Mar 2022 - 21h33 | Atulizado em 28 Mar 2022 - 21h33
Ucrânia pede ajuda humanitária ao Brasil

No início do mês o Brasil já havia enviado ajuda para o país invadido com alimentos, e purificadores de água. Os mantimentos foram levados por aviões da FAB.


Avião da (FAB) levando ajuda humanitária para Ucrânia no inicio do mês Foto destaque: Reprodução/Bahia.ba



Mas o governo ucraniano pediu, na última semana, que o Brasil enviasse mais ajuda humanitária. A lista é extensa e incluem 15 mil toneladas de roupas, 7 milhões de cobertores, 200 mil toneladas de alimentos, 500 mil litros de água potável, 5 mil toneladas de itens de primeiros socorros, 25 mil toneladas de colchões e sacos de dormir e 500 mil kits de primeiros socorros. Há também uma lista com 91 medicamentos.
 Segundo o vice-ministro da Saúde da Ucrânia, Oleksii Iaremenko, a ajuda humanitária tem diminuído, mesmo com a contínua ofensiva russa. 
“Na última semana o que vimos é que o nível de ajuda humanitária está um pouco menor. Esperamos que seja uma pausa para encontrar novos recursos, porque a agressão russa está aumentando e eles estão bombardeando civis”, disse a autoridade em entrevista à Reuters.
Vale lembrar que a guerra entre Rússia e Ucrânia ja dura mais de um mês, os ucranianos tem nescessitado cada vez mais de ajuda, doações de utros países.
Washington é um dos mais importantes doadores de ajuda humanitária à Ucrânia, com "perto de 405 milhões de dólares (361 milhões de euros) para as comunidades vulneráveis desde que a Rússia invadiu a Ucrânia há oito anos", escreveu, numa referência à anexação da península ucraniana da Crimeia por Moscovo em 2014.

Os Estados Unidos aprovou 54 milhões de dólares (48,1 milhões de euros) de ajuda humanitária suplementar à Ucrânia, anunciou este domingo o chefe da diplomacia norte-americana, ajuda essa que fará toda diferença para os ucranianos.

Sobre a guerra, a situação é catastrófica em Mariupol, onde 160 mil civis sofrem um bloqueio total russo e se encontram há semanas sem eletricidade, sem acesso a alimentos e medicamentos. O ministro ucraniano das Relações Exteriores denunciou, no Twitter, que o exército russo está transformando Mariupol em poeira, que os comboios de ajuda humanitária são bombardeados e os motoristas dos caminhões assassinados. Ele apontou, ainda, o sequestro de 2 mil crianças que teriam sido levadas para um local de conhecido na Rússia, algumas acompanhadas de seus pais e outras isoladas.

Refugiados ucranianos na Polónia Foto destaque: Reprodução/ EPA