Money

Última semana de dezembro: no sprint final Ibovespa apresenta alta

27 Dez 2021 - 23h59 | Atulizado em 27 Dez 2021 - 23h59
Última semana de dezembro: no sprint final Ibovespa apresenta alta

 

A semana que encerra o mês de dezembro inicia com leve alta no Ibovespa subindo 0,55% chegando a 105.471 pontos as 15h10 desta segunda feira pós natal, dia 27. O movimento aqui no Brasil segue a tendência dos mercados internacionais que mostraram um tom mais otimista, mesmo que leve, na sessão grifou a baixa liquidez nesse período de festas de final de ano. Até o dólar operou em queda, se aproximando de R$ 5,65.

Índices

Ibovespa: + 0,55%

S&P 500: + 1,08%

Dólar: - 0,40%

O Tio Sam apresentou seus índices que apresentaram uma subida que ficou entre 0,60% e 1,20%. Existia uma expectativa para que acontecesse uma corrida nesse final de ano. As incertezas trazidas com a pandemia continuam sendo monitoradas co preocupação, principalmente depois dos casos de voos adiados depois da descoberta na nova cepa Ômicron, que se espalha pelo mundo com muita rapidez. Só nos Estados Unidos, mais de 2.000 voos foram sobrestados no final de semana, isso deixou o mercado apreensivo  e fez com que os papeis do setor no mercado apresentassem quedas. Delta e America Airlines caíram pouco menos de 1%.

O efeito setorial que ficou nítido não afetou o padrão do mercado, que fala mais alto e contribui muito para a alta da bolsas. No maior mercado financeiro do mundo, Wall Street, os setor dias que marcam o final do ano, aconteceram ganhos em 80% das vezes nas ultimas décadas a partir de 1950. Aqui no Brasil, o índice da Bolsa de Valores de São Paulo subiu nessa última semana do ano, essa propensão tem acontecido nas quatro das últimas cinco vezes desde o ano de 2016.


Como fica a distribuição do dinheiro em 2022 e onde investir seu capital. (Foto: Reprodução/BlogFia)


O varejo tem apresentado papeis negociados em alta, com isso as ações do segmento mostram se mostram como grandes destaques no pregão. Na parte positiva estão, Via (VIIA), Lojas Americanas (LAME4) e Magazine Luiza (MGLU3) estão na dianteira quando o assunto são ganhos no Ibovespa. BRMalls (BRML3), Lojas Renner (LREN3), Cielo (CIEL3( e GetNet (GETT11) também protagonizaram altas.

Via (VIIA3): + 5,56%

Lojas Americana (LAME4): + 3,55%

Magazine Luiza (MGLU3): + 5,97

No outro lado da ponte com as piores performances no ano de 2021 estão as empresas do setor de construção, que tiveram recuperação durante essa sessão, os destaques foram Cyrela (CYRE3), MRV (MRVE3) e EzTec (EXTC3).

Cyrela (CYRE3): + 1,46%

MRV (MRVE3): + 2,72%

EzTec (EZTC3): + 0,55%

As incertezas apresentadas pelo setor da aviação ficaram com a parte negativa, Gol (GOLL4) e Azul (AZUL$) caíram mais de 1%. No acumulado desse ano as companhias aéreas tiveram uma deságio de 30%.

Gol (GOLL4): - 1,36%

Azul (AZUL4)%: - 2,12%

Dentre as ações mais relevantes para o Ibovespa, a Vale (VALE3) teve operação bem próximo do normal, a queda do minério ferro que caiu mais de 5% em Singapura não teve influência negativa quanto a estabilidade, mesmo com a piora das expectativas sobre a procura do aço em 2022. Durante o dia os ativos da Vale tiveram uma queda de 0,89%, isso pressionou o Índice na direção do chão. No entanto isso não durou muito tempo e ele logo saiu do vermelho retomando o nível positivo impulsionado pelo clima internacional.

 

https://inmagazine.ig.com.br/post/Apesar-de-dolar-chegar-ao-cume-de-2021-expectativa-e-que-escalada-de-alta-continue-em-2022

https://inmagazine.ig.com.br/post/Republica-de-Cuba-sofre-com-reformas-economicas-e-fecha-ano-batendo-70-de-inflacao

https://inmagazine.ig.com.br/post/Consumidor-brasileiro-recupera-parte-da-confianca-no-mercado-e-o-que-diz-Fundacao-Getulio-Vargas


Hoje o dia foi de agenda economia mais tranquila, quem mais chamou atenção foi a divulgação do boletim Focus, que apresentou perspectiva negativa para o PIB de 2021 e do próximo ano. Em 2021 o crescimento que era estimado em 4,58% não passou de 4,51%. Em 2022 o que deveria ser um crescimento de 0,50% agora não vai além de miseráveis 0,42%.

Foto destaque: Reprodução/SeuDinheiro.

Mais Lidas