Música

Um ano sem Cassiano: veja a trajetória do compositor

08 Mai 2022 - 11h03 | Atulizado em 08 Mai 2022 - 11h03
Um ano sem Cassiano: veja a trajetória do compositor

Um dos pioneiros do soul no Brasil, Genival Cassiano nasceu em Campina Grande (Paraíba), e ainda no início década de 1960 foi para o Rio de Janeiro, onde fundou ao lado de seu irmão Camarão a banda “Os Diagonais”. Lançado em 1969, o disco contava com releituras que vão desde Ary Barroso, Ataulfo Alves e Wilson Batista, até Caetano Veloso e Gilberto Gil. Cassiano compôs as duas faixas autorais, “Não dá pra entender” e “Clarimunda”. 

Cassiano marcou época na música brasileira, ao lado de Tim Maia

Em 1968, o artista participou do single “Sentimento”, de Tim Maia, o que seria o começo de uma parceria histórica. Dois anos depois, em 1970, Cassiano escreveria ao lado de Maia duas de suas canções mais famosas, que faziam parte de seu LP de estreia. “Eu Amo Você”, e “Primavera”, além de ser coautor na primeira faixa do álbum, “Padre Cícero”, e autor de “Você Fingiu”.

Em 1971, bebendo da fonte do Soul norte-americano de artistas como os Isley Brothers, Curtis Mayfield e Marvin Gaye, apresentados a ele por Tim Maia, Cassiano lançaria seu primeiro LP, “Imagem e Som”, onde foi acompanhado por Capacete (baixo) e Carlos Batera (bateria), músicos de Tim. O LP também conta com duas participações do síndico, coautor em “Ela Mandou Esperar” e “Tenho Dito”, além de arranjos de Waldir de Barros.

Dois anos depois, o “soulman” lançaria seu segundo disco, “Apresentamos Nosso Cassiano” (1973), com produção de Milton Miranda e arranjos de Carlos Alberto Gírio e Lindolfo Gaya.


Cassiano ao lado de Tim Maia e Hyldon. (Foto: Reprodução/CBS)


Em 1975, Cassiano emplacaria seu maior sucesso, “A Lua e Eu” que saiu como single e posteriormente no LP “Cuban Soul – 18 Kilates” (1976) além de “Coleção”, que fizeram parte da trilha sonora das novelas “O Grito” e “Locomotivas”, respectivamente.

O que seria o próximo disco de Cassiano, planejado para 1977, foi abortado pela gravadora CBS e, pouco tempo depois, o compositor teve de interromper a carreira devido a problemas de saúde.

Durante o hiato forçado do artista, seu amigo Tim Maia tinha fama e projeção nacional, enquanto Cassiano ficava em um injusto ostracismo após seu breve sucesso.

Nos anos seguintes, Cassiano ainda fez parcerias com o síndico. Em “Disco Club” (1978), um dos álbuns mais famosos de Tim, o compositor escreveu a faixa “Murmúrio”, e no álbum “Nuvens” (1982) a música “Rio Mon’Amour”.

 

Foto Destaque: Apresentamos nosso Cassiano. Reprodução/CBS.

Mais Lidas