INMAG | Todos os direitos reservados.

Hi, what are you looking for?

Saúde e Bem Estar

Confira quais os documentos necessários para vacinação infantil contra a Covid-19

A vacinação infantil já está em andamento, mas muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre quais documentos devem levar para vacinar as crianças. O G1 escutou especialistas que esclarecem essas questões, informando o que é realmente necessário.

Para vacinar uma criança contra a Covid-19, basta que o responsável leve um documento do menor. Documentos com fotos ou CPF são preferenciais, mas caso a criança não tenha, pode ser levada a Certidão de Nascimento.

Algumas peculiaridades são exigidas em casos específicos. Quando a criança tiver qualquer imunodeficiência, como estar tratando de um câncer ou alguma outra enfermidade específica, é necessário levar um documento que comprove o quadro, e que autorize a criança a tomar a vacina da Pfizer.

Aliás, a Pfizer, é também a vacina que deve ser aplicada em crianças de cinco anos de idade. Esta informação foi passada pelo pediatra infectologista, Dr. Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e presidente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).


Vacina contra a Covid-19. Reprodução/Divulgação: unsplash


Outra situação que requer autorização é quando a criança for levada para vacinação por outra pessoa, que não seja um dos pais ou responsáveis. Neste caso, é necessário uma autorização por escrito, um termo de assentimento que autorize a pessoa a levar a criança para receber a vacina. Esta determinação é do Ministério da Saúde e inclui na nota técnica crianças de 5 a 11 anos.

Conforme apuração do G1, este procedimento é realizado por muitas Prefeituras, mas algumas outras contrariam as normas do Ministério da Saúde e exigem autorização ou assinaturas, mesmo quando não necessário. No Rio de Janeiro, cinco municípios exigem essa autorização.

Já em Salvador, os pais são obrigados a assinar um formulário. A região metropolitana de Belo Horizonte exige que os próprios pais assinem o termo de responsabilidade, o que não é exigido pelo Ministério. A prefeitura de Belém no entanto, afirma que só vai pedir documento em casos de crianças desacompanhadas pelos pais. 

Segundo o Dr Renato Kfouri, não é necessário cadastro e nem cartão do SUS para receber a vacina, até porque, muitas pessoas não tem esse cadastro realizado. 

Foto destaque: Crianças vacinadas. Reprodução/Divulgação: s2.glbimg.com

 

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Empreender na Prática

Não há contradição entre frescor, relaxamento e bem-estar. Na rotina de self-care, os body splashes se tornaram protagonistas quando assunto é refrescar o corpo...

Saúde e Bem Estar

A Massagem Nuru é uma prática terapêutica que tem origem no Japão e se tornou cada vez mais popular em diversos países, incluindo o...

Celebridades

O cantor foi fotografado ao lado da esposa Bianca Censori. Ele estava mascarado e ela nua, sob uma capa de chuva transparente.

Magazine

Quem conhece Nicole Bahls, sabe que ela é babado, confusão e alegria, por onde passa deixa seu rastro de carisma e felicidade. Nicole é...